Publicidade
Manaus
SAÚDE

Ação de combate à hanseníase e doenças no intestino inicia nesta quinta (1º) em Manaus

Campanha vai até o dia 30 de junho e deve percorrer mais de 180 escolas da capital. Em dois anos, 15 casos foram confirmados por meio do atendimento 26/02/2018 às 15:24 - Atualizado em 26/02/2018 às 15:26
Show hansen ase
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Prefeitura de Manaus vai promover a partir desta quinta-feira (1º) a 5ª Campanha de Combate à Hanseníase e Geo-Helmintíases. As ações acontecerão até o dia 30 de junho. O trabalho será realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com a Fundação Alfredo da Matta, secretarias municipal e estadual de Educação (Semed e Seduc) e o Movimento pela Reintegração às Pessoas Afetadas com Hanseníase (Morhan).

O lançamento oficial da campanha em Manaus vai acontecer no dia 13 de março, 9h30, na Escola Municipal Professora Maria Leide Amorim, rua São Luiz, quilômetro 4 da BR-174, conjunto São João.

Com o objetivo de realizar a busca ativa de casos novos de hanseníase e o tratamento coletivo para as geo-helmintíases, as ações irão beneficiar 70 mil estudantes, na faixa etária de cinco a 14 anos, em 140 escolas municipais e outras 43 escolas estaduais.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, explica que a campanha é uma estratégia utilizada para a redução de casos ou dos efeitos que esses agravos podem trazer para a saúde de crianças e adolescentes em fase escolar.

“As ações acontecerão a partir das escolas e Unidades de Saúde. Haverá ainda a mobilização e orientação aos professores, estudantes, pais ou responsáveis sobre o controle e a prevenção às doenças”, informa Marcelo Magaldi. 

De acordo com a chefe do Núcleo de Controle da Hanseníase da Semsa, Eunice Jacome, durante a campanha, os profissionais de saúde irão realizar a busca ativa de casos suspeitos de hanseníase, identificando estudantes que apresentarem manchas na pele, sendo que a avaliação médica será na própria escola ou na Unidade de Saúde de referência. 

“A hanseníase é uma doença infecciosa crônica e a detecção precoce é essencial para reduzir os riscos de transmissão, além de permitir o início imediato do tratamento para evitar as sequelas físicas que a doença pode ocasionar”, explica Eunice Jacome. 

Em relação às geo-helmintíases (doenças parasitárias intestinais), destaca Eunice, a estratégia da campanha consiste no tratamento coletivo no ambiente escolar, com a administração de um comprimido mastigável de medicamento em dose única aos estudantes. 

“O tratamento coletivo, através da administração de um medicamento anti-helmíntico, vai reduzir tanto a intensidade de infecção quanto a prevalência da doença na comunidade onde o estudante reside”, esclarece Eunice Jacome, alertando que o estudante só será incluído nas ações da campanha com a autorização dos pais ou responsáveis. 

Na última Campanha de Combate à Hanseníase e Geo-Helmintíases, realizada em Manaus, no ano de 2016, foram detectados 136 casos suspeitos de hanseníase. Desse total, foram confirmados cinco casos da doença entre alunos de cinco a 14 anos, além de um caso em um estudante fora da faixa etária indicada. Já em 2015, houve a confirmação de 10 casos na campanha.

Publicidade
Publicidade