Publicidade
Manaus
INVESTIGAÇÕES

"Ação orquestrada", diz Sérgio Fontes sobre ataques a ônibus em Manaus

Secretário de Segurança afirmou que novos vândalos serão presos e classificou a atitude dos empresários em recolher ônibus das ruas de Manaus como precipitada 24/02/2017 às 13:33 - Atualizado em 24/02/2017 às 13:45
Show fin  es13181123
Ataques a ônibus ocorreram na noite desta quinta-feira (Foto: Evandro Seixas)
Alik Menezes Manaus (AM)

O secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, disse, durante coletiva de imprensa, que indícios apontam que as tentativas de incêndios de coletivos na quarta-feira (22) e ontem fazem parte de uma ação orquestrada. "Há, sim, uma ação orquestrada e temos elementos que nos permitem inferir isso". Por conta dos incêndios, ônibus foram retirados das ruas, deixando a população abandonada à própria sorte.

De acordo com Sérgio Fontes, as investigações detectaram que todos os incêndios foram praticados com o mesmo tipo de garrafa, e que o homem preso por ter ateado fogo em um dos ônibus já foi funcionário de empresas que atuam no transporte da cidade. 

Wilson Soares da Silva, 45, apresentado durante a entrevista coletiva, confessou que tentou incendiar um ônibus na noite de ontem. Ele contido por usuários do coletivo. Wilson trabalhou como manobrista na empresa Via Verde e estava desempregado desde o ano passado. "Foi um ato de desespero", afirmou ele. No entanto, para Fontes, a justificativa é falha. "O cidadão tem carteira do Sinetram, é motorista, tem dinheiro e estava lá queimando ônibus", afirmou. 

Fontes disse que as investigações apontam que um grupo de pessoas é responsável pelas ações, mas negou que sejam ligadas ao crime organizado ou facções Criminosas.  "Temos um grupo de pessoas coordenadas, que são funcionários ou ex-funcionários de empresas", afirmou Sérgio Fontes, ressaltando que há investigações e que nos próximos dias os outros vândalos seram presos e apresentados à imprensa. 

Fontes classificou como precipitada a atitude do Sinetram de mandar recolher os carros para as garagens alegando falta de segurança. "Em nenhum momento fomos procurados e a polícia está na rua", disse ele, que destacou ainda o fato de que ninguém foi ferido nas ações, dando mais um indício de que os crimes foram orquestrados. "Querer dizer que foi tirado os ônibus porque não tem segurança e os motoristas vão morrer, é mentira. Qem foi agredido? Quem foi ameaçado?", questionou.

Publicidade
Publicidade