Publicidade
Manaus
RIO NEGRO

Acúmulo de lixo e animais peçonhentos preocupam moradores de áreas alagadas

O nível do Rio Negro baixou 34 centímetros, o que não ameniza a preocupação das pessoas que vivem em áreas alagadas pela cheia deste ano 27/06/2017 às 09:00
Show rato
Ratos são presença constante embaixo do assoalho da casa de Edite da Silva, cuja mãe sofreu com febre repentina (Foto: Gilson Mello/Free lancer)
Silane Souza Manaus (AM)

O nível do rio Negro, em Manaus, baixou 34 centímetros desde o último dia 6 quando começou o processo de vazante. A cota estava em 28,66 metros e a previsão é que continue recuando, o que não ameniza a preocupação das pessoas que vivem nas áreas alagadas pela cheia deste ano, tendo em vista o grande acúmulo de lixo nas margens dos igarapés e o aparecimento de animais peçonhentos e roedores.

A dona de casa Cleonice da Silva Pereira, 58, moradora do beco José Casemiro, no Centro, contou que as doenças começaram a acometer as pessoas que vivem na área com mais frequência. Febre e tosse são os principais sintomas dos doentes. “Várias crianças adoeceram. Até minha mãe também. Quase ela vai. Graças a Deus melhorou. Mas aqui não está fácil para ninguém, pois tem muito lixo”, afirmou.

A aposentada Edite da Silva, 86, mãe de Cleonice, acreditou que morreria quando estava doente, mas a febre de repente passou e ela ficou boa. Porém, agora teme que a vazante traga outras doenças mais perigosas. “Aqui tem muito rato. A gente vê eles em todas as partes onde tem lixo acumulado e que veio com a cheia. Sabemos que transmitem doenças perigosas e ficamos com medo”, declarou.

A água do rio Negro ficou perto de atingir os assoalhos das casas no beco José Casemiro, mas os moradores não receberam nenhum auxílio da Prefeitura de Manaus. E a ponte que liga as residências está com estrutura comprometida. “A gente tem que andar com cuidado. Semana passada um senhor caiu ao pisar numa parte da ponte que estava podre”, disse a dona de casa Eliana da Silva, 42.

Nenhuma das famílias atingidas pela cheia deste ano em Manaus recebeu auxílio-aluguel ou rancho por parte do município. De acordo com a prefeitura, isso só aconteceria se tivesse sido decretado situação de emergência, o que não aconteceu porque o nível do Negro chegou à cota crítica de 29 metros, no dia 3 deste mês, mas ficou estável por dois dias e no terceiro recuou.

Para a Prefeitura de Manaus, a cidade enfrentou menos problemas com a cheia deste ano por conta de o município ter realizado de forma antecipada e integrada, ações de prevenção como a retirada de lixo dos igarapés, construção de mais de três quilômetros de pontes nas áreas afetadas, cadastramento de famílias e orientações sobre doenças ocasionadas pela contaminação da água.

Conforme a prefeitura, o trabalho de dragagem (retirada de entulhos) foi realizado em 46 igarapés, somando 12 mil metros cúbicos de lixo retirado. O município também manteve a vigilância na limpeza dos cursos d'água e melhorou a educação ambiental da população, que jogou menos lixo nas ruas e igarapés.

Fenômeno afetou 15 mil famílias

Conforme a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) 2.610 famílias foram afetadas pela cheia em 15 bairros de Manaus. Outras 500 famílias não foram encontradas nas residências, mas os locais estão identificados em relatórios. Na zona ribeirinha, também, aproximadamente 500 famílias estão mapeadas pelo SOS Enchente, caso fosse decretada a situação de emergência. O trabalho de identificação aconteceu em abril. A Defesa Civil de Manaus deve divulgar o balanço final da cheia a partir do próximo dia 4.

Conselho vai reunir os coordenadores de curso

O Conselho Regional de Administração do Amazonas (CRA-AM) realizará, quinta-feira,   o 16º Encontro de Coordenadores de Cursos de Administração do Amazonas (ECAD).  O evento abordará o tema “O impacto do Enade de Administração para as Instituições de Ensino do Amazonas” e terá como palestrante  o diretor de Formação Profissional do Conselho Federal de Administração (CFA), Mauro Kreuz.

O Encontro visa aproximar as Instituições de Ensino Superior do CRA-AM por meio de seus coordenadores e  acontecerá no auditório do CRA-AM, em Manaus. Mais informações no telefone (92) 3303-7102.

David Almeida visita obras em municípios

O governador David Almeida visita, hoje, os municípios de Manicoré e Nova Olinda do Norte para acompanhar o andamento das obras de infraestrutura realizadas pelo Governo do Amazonas.

Os municípios receberam obras de infraestrutura destinadas à melhoria do sistema viário. Recuperação de estradas e ruas, serviços de limpeza, aterro, terraplanagem, drenagem, meio fio, calçada e pavimentação em asfalto e abertura de novas ruas fazem parte do pacote de obras nas duas cidades.

Pelo menos 16 municípios do Amazonas estão sendo contemplados com obras cujos investimentos são de  R$ 231 milhões.

Publicidade
Publicidade