Publicidade
Manaus
Manaus

Acusado de agredir cães fala sobre o caso à TV A CRÍTICA: ‘Foi um ato de desespero’

Nesta segunda (22), o funcionário público Renan Agra explicou que foi atacado e quis defender a família; história vem repercutindo nas redes sociais 23/09/2014 às 15:03
Show 1
Renan disse que agiu por desespero, mas ONG Clube do PitBull alega que cães eram dóceis. Animais teriam fugido de casa
Kelly Melo Manaus (AM)

O funcionário público Renan Agra Pereira, que agrediu com terçadadas dois cães da raça Pitbull, na semana passada, decidiu quebrar o silêncio e se manifestou segunda-feira (22) sobre o ocorrido.

Segundo o homem, a atitude dele foi apenas para salvar a família do ataque dos animais. Os cachorros teriam fugido da casa dos pais da dona, no bairro Vila da Prata, na Zona Oeste, no dia 14, e foram parar na casa de Renan. Os animais teriam tentado atacar ele e a esposa.

“Foi o instinto do desespero. Na hora não dava para saber se os animais eram agressivos ou não. Eles vieram para cima de mim e quando eu passei perto do mamoeiro, vi o terçado. Peguei facão e fui pra cima. Nessa hora eram eles ou a minha família”, explicou Agra, com exclusividade à TV A CRÍTICA, nesta segunda-feira (22).

Repercussão na internet

O caso ganhou repercussão após as imagens dos animais, mutilados, terem sido compartilhadas nas rede sociais. No último sábado, a Organização Não Governamental (ONG) Clube do Pit Bull realizou um manifesto, no bairro onde o crime aconteceu, em repúdio a atitude do funcionário público, e reuniu dezenas de adeptos às causas dos animais.

De acordo com a presidente da ONG, Andrea Guedes, o caso só chegou ao conhecimento dela porque a clínica veterinária que atendeu os animais entrou em contato com o Clube. “A notícia só chegou até nós porque a clínica para onde a cadela foi levada nos acionou. O veterinário nos explicou que os animais são fortes e ele (Renan) só conseguiu fazer isso porque eles são cães dóceis, ele não poderia lidar com dois pitbulls”, afirmou Andrea.

“Estamos recebendo apoio de outras ONGs e da Comissão Especial de Proteção Aos Animais, da OAB, que se propôs a abrir um termo circunstanciado de ocorrência (TCO)”, concluiu a presidente do Clube.

A Polícia Civil já tomou conhecimento e o caso deverá ser acompanhado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), localizado no bairro Coroado, na Zona Leste. Um Pitbull perdeu o olho após o confronto.

Publicidade
Publicidade