Domingo, 17 de Novembro de 2019
AÉREO

Adolescente picado por cobra em zona rural de Manaus é resgatado por helicóptero da SSP

Edvan da Silva de Oliveira recebeu os primeiros atendimentos de um médico do SAMU e da tripulação da SSP, ainda na comunidade



adolescente_50481CE0-FB5F-48EF-ABC7-9D28780A44B6.JPG Foto: Divulgação
23/02/2019 às 18:46

Um adolescente de 13 anos picado por uma cobra peçonhenta em uma comunidade rural localizada no Rio Cuieiras, afluente do Rio Negro, na Zona Rural de Manaus, foi resgatado  pelo Departamento Integrado de Operações Aéreas (DIOA), da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), realizou neste sábado (23). O resgate aéreo ocorreu na comunidade São Sebastião (a 62 quilômetros de Manaus), à tarde, onde a equipe buscou o jovem no helicóptero Águia 1 para atendimento médico na capital amazonense.

A solicitação do socorro foi feita pelo SAMU, que também enviou agentes no helicóptero juntamente com a tripulação da Secretaria de Segurança. A aeronave desembarcou para a Comunidade São Sebastião, onde o resgate se deu, por volta das 15h. Entre a ida e a volta até a localidade, a equipe levou cerca de uma hora.



Edvan da Silva de Oliveira recebeu os primeiros atendimentos de um médico do SAMU e da tripulação da SSP, ainda na comunidade. O jovem desembarcou em Manaus ao lado do pai, Edmar, na Vila Olímpica, no Dom Pedro, zona centro-oeste, e foi levado de ambulância ao hospital da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) para receber atendimento especializado.

A tripulação da aeronave Águia 01 era composta pelos pilotos Major Cavalcante, Delegado Artur e o Sargento Rego, tendo ainda um médico do SAMU, Doutor Bernarde.

Atendimento

De acordo com o diretor clínico da FMT-HVD, o infectologista Antônio Magela, o adolescente está sendo assistido por especialistas da unidade, seu estado é estável, mas devido à gravidade do acidente, ainda é cedo para saber se terá algum comprometimento no membro atingido.

“A suspeita é de que tenha sido um Acidente Botrópico (causado por jararaca), apesar da família ter narrado que a picada seja de uma Pico de Jaca. A Pico de Jaca é a verdadeira Surucucu, que vive em floresta primária e densa e os acidentes com essa espécie costumam ser noturnos. Cerca de 97% dos acidentes na Amazônia são por serpentes do tipo Bothrops”, disse Magela.

Por precaução, segundo o médico, o paciente recebeu dois tipos de soro para neutralizar o veneno de ambas as serpentes (soro bivalente e o anti botrópico-laquético). Ainda segundo ele, o soro antiofídico só pode ser aplicado em ambiente hospitalar, por conta do risco anafilático. "O resgate de helicóptero foi importante, dada a distância em que estava. Isso pode fazer a diferença no sucesso do tratamento”.

Nos casos de mordidas desse tipo, a orientação do médico é manter a pessoa em posição confortável e buscar, o mais rápido possível, um ambiente hospitalar.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.