Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
SEM RESTRIÇÃO

Adolescentes passam mal após ingerirem bebida alcoólica em arraial de escola

De acordo com as denúncias, o bar improvisado dentro da Escola Estadual GM 3 Josué Claudio de Souza vendeu catuaba aos próprios alunos menores de 18 anos



foto_agora_dois.JPG Adolescentes foram parar no Serviço de Pronto-Atendimento (SPA) do bairro Coroado (Foto: Divulgação)
05/08/2018 às 12:37

Vários adolescentes passaram mal na noite dessa sexta-feira (03) depois de ingerirem bebida alcoólica durante um arraial que aconteceu na Escola Estadual GM 3 Josué Cláudio de Souza, localizada no Coroado, Zona Leste de Manaus. Alguns foram parar no Serviço de Pronto-Atendimento (SPA) do bairro. De acordo com as denúncias, o bar improvisado dentro da unidade de ensino vendeu catuaba aos próprios alunos menores de 18 anos sem nenhuma restrição.

A serviços gerais Shirneila Palheta Freitas, 44, contou que entre 23h e 23h30, quando estava saindo do arraial, se deparou com um adolescente bêbado vomitando dentro do banheiro da escola, outros jogados na frente da unidade de ensino e nenhum responsável ou funcionário os ajudaram. “Eu e minha amiga pedimos ajuda de uns policiais, que estavam nas proximidades, para levar uma adolescente, de 12 a 13 anos, ao SPA Coroado. Parecia que ela estava em coma alcoólico”, afirmou.

Shirneila disse que desde que chegou ao arraial achou a movimentação estranha e ficou indignada com tudo que presenciou. “Eu fui com uma amiga jogar o bingo. Nós vimos no bar, a secretaria da escola vendendo catuaba aos alunos de forma normal. Eu nunca tinha visto algo do tipo e olha que trabalhei nessa mesma escola durante 12 anos. Sempre tem cerveja nessas festinhas, mas nunca vi sendo vendida aos estudantes menor de idade. Só aos pais deles. Isso é lamentável”, apontou.

O presidente da União dos Estudantes Secundaristas do Amazonas (UESA), Mário Lúcio, revelou que amanhã vai pedir providências junto a Promotoria de Infância e Juventude e a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc). “É crime vender bebida alcoólica para crianças e adolescentes. As escolas têm conhecimento disso. Precisamos apurar essa questão e punir os responsáveis, pois aqueles jovens foram claramente expostos a situação de risco”, ressaltou.

Procedimento administrativo instaurado

A Seduc informou que instaurou procedimento administrativo para apurar a suposta ocorrência de alunos embriagados nas dependências da Escola Estadual GM 3 Josué Cláudio de Souza, na última sexta-feira.

A pasta informou também que afastou o gestor da unidade educacional, preventivamente, até a conclusão da apuração. “A Seduc reitera que é terminantemente proibida a comercialização de bebidas alcoólicas nas dependências de unidades educacionais em qualquer tipo de atividades culturais”, disse em nota.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.