Publicidade
Manaus
Mulheres em pauta

Advogadas fazem desfile contra a violência em shopping de Manaus

Ação percorre shopping para divulgar a campanha ‘16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher’ 25/11/2016 às 05:00
Show desfile0333
Durante o movimento foram distribuídos panfletos sobre a temática e orientação jurídica às mulheres. Foto: Evandro Seixas
Náferson Cruz Manaus

Com o intuito de combater qualquer ação ou conduta que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher, tanto no âmbito público como privado, a Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM) realizou ontem, no Manauara Shopping, a campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher”.

Durante o movimento foram distribuídos panfletos sobre a temática e orientação jurídica às mulheres. A vice-presidente da OAB-AM, Adriana Mendonça, enfatizou que a iniciativa visa conscientizar e incentivar a denúncia de práticas abusivas e violentas que tenham mulheres como vítimas. “Essa é uma mobilização anual praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e do poder público engajado no enfrentamento de combate à violência contra a mulher”, destacou.

Adriana explica que, além deste ato, a OAB-AM está engajada em diversos outros movimentos, como o que ocorreu no início do ano, com a campanha “A Ordem é Quebrar o Silêncio”. “Nessa ação atuamos nos terminais de ônibus, nas proximidades da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) e em outros pontos da cidades com apitaços contra a violência praticada contra a mulher, estimulando as denuncias para que diminua este tipo de crime”, disse.

A advogada ressalta que a campanha “A Ordem é Quebrar o Silêncio” é permanente na OAB e, para atender as denúncias, é disponibilizado o Disk-Denúncia 181, por meio do qual as vítimas ou parentes de vítimas podem ligar, sem precisar  se identificar, para fazer a  denúncia. Conforme a coordenação do evento, a OAB dispõe de uma comissão de  advogados  para prestar apoio jurídico  às mulheres que sentirem necessidade e tiverem sofrendo esse tipo de agressão.

Alerta importante
Para professora Adelaide Martins, 41, o evento é de grande relevância para as mulheres.  “Este é um ato não só sobre a denúncia, mas contra todos os tipos de violência que as mulheres sofrem diariamente no Brasil inteiro. O que nos alegra, porém, é que o número de mulheres que denunciam seus agressores tem aumentado, o que mostra que essas vítimas sentem cada vez mais segurança em quebrar o silêncio e punir os culpados”, disse a professora.

Números: 5 mil
mulheres vítimas de violência passaram pela Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) só no primeiro semestre deste ano, segundo a SSP/AM. Nas duas varas Maria da Penha do TJ-AM, tramitam 17 mil processos de violência contra mulheres.

Parlamentar em apoio à causa
A presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereadora professora Jaqueline  (PHS), ressalta que o evento serve para dar maior  visibilidade ao enfrentamento da  violência contra a mulher. “Temos que fazer atividade que dê visibilidade ao movimento como forma de incentivar as mulheres a participara das ações e quebrar o ciclo deste tipo de violência, portanto, temos que mobilizar toda a sociedade em relação ao assunto”.

Publicidade
Publicidade