Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
Manaus

Aeroporto de Manaus está entre os piores do país no desembaraço de cargas

Demora em média uma semana o serviço de desembaraço de mercadorias nos aeroportos, incluindo o de Manaus. É o que aponta uma pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan)



1.jpg Empresários locais confirmam a lentidão no desembaraço de mercadorias nos terminais de carga do aeroporto
03/04/2013 às 09:59

O aeroporto internacional Eduardo Gomes está entre os piores do país quando o assunto é desembaraço de cargas. É o que aponta uma pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), divulgada nesta terça-feira (02). Baseada em dados fornecidos pela Infraero, a Firjan aponta que o tempo médio de espera para liberação da carga é de 175 horas corridas no Eduardo Gomes, que acompanha o ritmo de outros aeroportos brasileiros, como Guarulhos, Campinas (SP), Galeão (RJ) e Salgado Filho (RS).

Para efeito de comparação, em Shanghai, na China, a liberação de cargas acontece em cerca de quatro horas após sua chegada. Já em Heathrow, na Inglaterra (que é considerado o mais lento dos aeroportos internacionais analisados) o mesmo processo demora oito horas.



Empresários da indústria e do comércio local engrossaram o coro do estudo feito pela Firjan. Segundo eles, o tempo gasto para a liberação de materiais no Eduardo Gomes gera custos altos com armazenagem (que acabam sendo repassados ao consumidor) e acarreta na perda de competitividade com outras regiões. Para Wilson Périco, presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), a falta de material pessoal é um dos principais gargalos na hora de desembaraçar uma carga. “O Pólo Industrial cresceu entre 8 e 10% nos últimos dez anos e a quantidade de auditores fiscais no aeroporto ainda é a mesma. A defasagem é muito grande”, criticou Périco. O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDLM), Ralph Assayag adotou um tom mais crítico. “Toda e qualquer carga que chega à Zona Franca de Manaus, seja por via aérea ou marítima é um terror. O desembaraço em Manaus demora no mínimo 50% a mais do que em qualquer outro lugar do país. Às vezes a carga chega ao meio-dia da sexta-feira, não há fiscal, o expediente acaba e temos que esperar até a segunda para retomar o processo. É um sofrimento grande”, desabafou Assayag.

Plantão 24h

Uma das teses defendidas pelo estudo da Firjan é a de que os aeroportos brasileiros precisam adotar um sistema de trabalho que possibilite a liberação de cargas 24h. Se isto acontecesse, os custos diminuiriam até em 50%. Wilson Périco considera esta hipótese como uma necessidade. “É uma saída diante do tempo gasto. Mas não daria certo se não aumentassem o pessoal. Outra coisa que poderia acontecer era o bom senso na hora da fiscalização. Se não existe material humano, que diminuam o tempo de amostragem”, sugeriu. Ralph Assayag acredita que falta vontade política para colocar a medida em funcionamento. “A Presidente dia desses baixou a energia elétrica propondo incentivo ao consumo. Mas se ela aumentasse o ritmo nos portos e aeroportos, o preço de muita coisa diminuiria muito mais. Falta um pouco mais de vontade”, disse Ralph.

Alfândega contesta informação

A Alfândega do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes contestou os dados da Firjan. Segundo a Receita, os números altos do tempo de espera se deram por conta das horas corridas, quando há a interferência de outros fatores no processo. Se considerados apenas o período em horas úteis (das 08h às 18h), o tempo médio para a liberação é de é de 18,7 horas.

A Receita esclareceu que uma vez registrada a presença de carga, o importador deve registrar uma declaração de Importação. Após a transmissão da Declaração de Importação, um sistema eletrônico e da análise de risco feita por auditores fiscais, determina-se se a carga deve ou não sofrer verificação física e documental da Aduana antes do desembaraço.

Uma carga que é desembaraçada sem necessidade de verificação pode ser retirada pelo importador. Em 2012, 91% das Declarações de Importação em Manaus foram desembaraçadas em menos de um dia útil. A Alfândega do Eduardo Gomes possui equipe de plantão 24 horas, que realizam desembaraço de cargas prioritárias como perecíveis, urnas funerárias, órgãos para transplantes, entre outros bens sensíveis.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.