Publicidade
Manaus
MOTIM

Agente penitenciário é feito refém por cerca de 30 presos de pavilhão do CDPM 2

O centro de Detenção Provisória Masculino 2 é onde está preso o ex-governador José Melo. Motivo da “alteração”, como definiu a Seap, não foi confirmado 25/02/2018 às 14:08 - Atualizado em 25/02/2018 às 14:47
Show show show cdpm
Foto: Arquivo/AC
Vitor Gavirati e Geizyara Brandão Manaus (AM)

Um agente penitenciário do Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), em Manaus, foi feito refém por cerca de 30 internos do pavilhão 1 da unidade onde se encontra preso o ex-governador José Melo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

O motivo da “alteração”, como definiu a Seap em nota oficial, ainda não foi divulgado. No comunicado, a secretaria afirma que o tumulto foi contornado.

“A situação foi contornada, com a liberação do agente, após negociações entre as equipes de plantão da Coordenação do Sistema Penitenciário (Cosipe) da Seap, que se deslocaram até a unidade para verificar a situação, juntamente com efetivo da Polícia Militar do Amazonas (PMAM)”, diz trecho da Nota emitida pela Seap.

Mesmo local onde está ex-governador

O CDPM 2, localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus – Boa Vista), é o presídio em que está detido o ex-governador do Amazonas José Melo, preso pela Polícia Federal durante uma das fases da Operação Maus Caminhos, que apura desvios de recursos destinados à Saúde.

O pavilhão onde o agente penitenciário foi feito refém é vizinho ao de José Melo, conforme o advogado de defesa do ex-governador José Carlos Cavalcanti Filho.

Segundo Cavalcanti Filho, apesar da confusão, a defesa de Melo não irá entrar com um novo pedido de habeas corpus a favor de seu cliente. “Veja, a questão (da segurança) está sendo mantida pela Seap. Esse tipo de situação acontece. Se fosse no pavilhão dele, a gente podia tomar algum tipo de providência”, disse.

Publicidade
Publicidade