Publicidade
Manaus
Manaus

Agentes de Endemias do Distrito Sul paralisaram atividades por reajuste salarial na categoria

Atualmente, todos os 1.025 agentes que passaram no processo seletivo de 2010 não receberam,  até o momento, nenhum reajuste de acordo com o piso previsto, no valor de R$ 1.014. Hoje, os funcionários públicos recebem menos do que um salário mínimo 09/09/2015 às 12:51
Show 1
Os agentes de todos os distritos prometem aderir à paralisação caso não haja um diálogo sobre o reajuste do piso salarial
isabelle valois Manaus (AM)

Aproximadamente 50 agentes de endemias da Fundação de Vigilância e Saúde (FVS), que prestam serviço para a distrito sul da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), paralisaram as atividades na manhã desta quarta-feira (9), após não obterem um retorno sobre o reajuste salarial conforme previsto para a categoria.

Uma das agentes de endemia, Maria Jucilene de Oliveira, explicou que ao todo são 1.025 agentes que passaram no processo seletivo de 2010 no Estado e até o momento não receberam nenhum reajuste de acordo com o piso previsto no valor de R$ 1.014.

“Somos responsáveis pelo combate diário de endemias como febre chikungunya, da zika, febre amarela e dengue, e não temos o nosso reconhecimento, pois recebemos menos que um salário mínimo, no valor de R$ 636,16, e um vale alimentação que todos os meses passa por mais de 20 dias de atraso”, detalhou.

Maria Jucilene explicou, também, que no mesmo período em que foram aprovados no concurso público e emprestados para o município, a Semsa contratou prestadores de serviço na mesma área de endemias e recebiam o piso base.

“Nós não temos condições de trabalho adequado, nos falta protetor solar e água. Sem o reajuste ou pelo menos um diálogo com os governos, não temos para onde recorrer a não ser a paralisação”, complementou.

A agente de endemia informou que, para a próxima semana, os agentes de todos os distritos também prometem cruzar os braços. “Passamos em concurso público e é uma vergonha não termos a contribuição que deveria ser do piso salarial, enquanto prestadores de serviço tem esse direito”, desabafou.

Em nota, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informou que, segundo a diretriz do Governo do Amazonas, os reajustes salariais estão suspensos por conta dos impactos da crise econômica brasileira nas finanças estaduais. "Sobre o atraso do crédito do cartão de ticket previsto para o dia 5 de setembro, informamos  que o processo está aguardando a liberação do recurso junto a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz)", concluiu.

Publicidade
Publicidade