Segunda-feira, 24 de Junho de 2019
Manaus

Alteração no Plano Diretor preocupa moradores de áreas afetadas

Limite urbano da cidade sobre a floresta está na pauta de discussão da Câmara; possível alteração preocupa gente que vive nessa linha que separa o urbano do rural



1.jpg No limite entre o urbano e o rural, comunitários do Val Paraíso plantam vegetais como alface, cebolinha, salsinha, pepino, couve, chicória e pimenta de cheiro
14/09/2013 às 15:58

O verde que limita o horizonte não serve apenas para lembrar que ali se vive do que é plantado, mas também para identificar que trata-se de um dos limites do perímetro urbano de Manaus. Por estarem nessa linha, as 300 famílias do Val Paraíso, comunidade colada ao bairro Jorge Teixeira, Zona Leste, ainda não pagam Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), mas se preocupam com as consequências que as mudanças feitas no Plano Diretor poderão trazer. A partir de terça-feira, esse e outros problemas que afetam diretamente a vida de toda a cidade, serão o foco de debates que aprovarão, em cinco meses, a revisão dessa legislação.

O local não está incluso no documento como subsetor agrícola, a exemplo da região do Distrito 2 e do Puraquequara. Com isso, os moradores que trabalham a terra há mais de 20 anos, temem perder direitos adquiridos com a atividade rural, como por exemplo, a aposentadoria como agricultor. Fora dos subsetores, a atividade agrícola em Manaus é restrita às zonas de expansão urbana, no entorno da Reserva Ducke.

Atualmente, 108 famílias sobrevivem exclusivamente do plantio e comercialização de hortaliças. O modo de vida é como na zona rural. No local, eles pagam apenas a energia elétrica. A água que utilizam, em grande parte, vem de um poço artesiano coletivo. “Estamos preocupados com essa mudança e queremos ver como vamos ficar. Esta semana deve ter uma reunião da associação de moradores”, afirmou o morador Francisco Lopes. Segundo ele, a indefinição dificulta até mesmo a busca de financiamentos para a produção que abastece feiras e supermercados de toda a Manaus. “Consegui R$ 6 mil no banco depois de muitos anos sem acesso a crédito”.

O relator do Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus, o vereador Elias Emanuel (PSB), afirmou que vai tentar uma emenda ao projeto para incluir a comunidade no planejamento previsto para a próxima década. Segundo ele, a atividade agrícola praticada nos cinturões verdes da cidade também é responsável por conter a ocupação desordenada dos espaços preservados.

Esse é também o papel das áreas de conservação como a Reserva Ducke, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), que faz limite com o local e marca a divisão das Zonas Norte e Leste. Não por acaso, a região é definida como área de expansão da cidade, segundo estudo vocacional do Plano Diretor.

Mais informações na versão impressa do ACrítica

Receba Novidades


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.