Publicidade
Manaus
Escola ribeirinha

Aluna de escola ribeirinha vai representar Manaus na Olimpíada de Língua Portuguesa

Raquel Farias Glória, de 11 anos, concorre na categoria Poema com o trabalho intitulado “Minha Casa Azul e Rosa” 18/11/2016 às 10:21
Show unnamed
Raquel e o professor dela, Jackson de Moraes Oliveira, viajam para Salvador nos próximos dias (Foto: Divulgação/Karla Vieira)
acritica.com

A aluna Raquel Farias Glória, de 11 anos, e o professor Jackson de Moraes Oliveira, da Escola Municipal Bom Jesus, na comunidade Nova Jerusalém, Rio Negro, vão representar a cidade de Manaus na etapa regional da Olímpiada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que acontecerá entre 22 a 24 de novembro na cidade de Salvador, Bahia. Eles estão entre os 500 semifinalistas e concorrem na categoria Poema com o trabalho intitulado “Minha Casa Azul e Rosa”.

Raquel e o professor Jackson viajam para Salvador nos próximos dias para participar de encontros de formação com outros semifinalistas da categoria Poema enquanto a comissão regional do concurso seleciona os 38 finalistas. Essa é a primeira vez que a menina viaja de avião. Até mesmo as visitas a Manaus, a aproximadamente duas horas de lancha da comunidade, são raras, o que só faz aumentar a expectativa. Apesar de ansiosa, ela está confiante no resultado e conta como se inspirou para construir o poema.

“Veio da minha cabeça, escrever sobre a minha casa, onde moro desde quando nasci. Gosto muito da minha casa, esse rio que vivo pulando nele, a minha avó que cuida de mim, o meu tio, tudo isso me inspirou”, diz. “Nunca viajei de avião, mas minha avó deixou eu ir. E estou muito confiante. Acho que vou ganhar”, arriscou.

O professor não esconde a satisfação pela escolha do poema de Raquel. “Meu papel foi passar o tema geral para os alunos e orientá-los na elaboração dos poemas, foi quando a Raquel chegou com esse e a gente foi ajustando até o resultado final, ganhamos as etapas até aqui e agora a expectativa é a melhor possível, pois o poema dela tem um potencial muito grande para ir até a final. Vamos incrementar nessa próxima fase e esperamos representar o Amazonas em dezembro, em Brasília, na grande final”, disse.

 A 5ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é um concurso nacional, de texto, voltado para alunos de escolas públicas de todo o País, do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. O concurso começou em fevereiro  e 1.267 escolas do Amazonas se inscreveram, sendo 297 da rede municipal de Manaus. Em 2016, o tema é “O lugar onde vivo”, que pretende estreitar os vínculos do aluno com a comunidade onde vive e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, contribuindo, ainda, para o desenvolvimento da cidadania do participante.

Os trabalhos serão julgados por uma comissão que conta com representantes do Ministério da Educação (MEC), Fundação Itaú Social, do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), das Secretarias de Educação e por docentes de universidades públicas. Eles verificam a autoria dos textos dos alunos, por meio de novas produções textuais, que acontecem ao longo das oficinas regionais.

A participação das escolas municipais na olimpíada é parte do Programa Viajando na Leitura, da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que desenvolve ações específicas e mobilizadoras de incentivo à prática de leitura e escrita. A secretária da Semed, Kátia Schweickardt, parabenizou o trabalho realizado por professores e alunos da rede e destacou o avanço e crescimento dos índices educacionais nas escolas do município. “Um trabalho como esse que a Raquel fez mostra que a gente tem muita coisa boa sendo feita no silêncio da floresta”, ressaltou a secretária.

‘Minha Casa Azul e Rosa’

Minha casa é de madeira pintada azul e rosa
Ela é bonita e faceira no Rio Negro é a mais vistosa
No lugar onde vivo moro com minha vó
Seu passatempo preferido é jogar dominó

Mas não posso me esquecer de falar do meu avô
Que sabe tudo da floresta para mim ele é doutor
Das brincadeiras que mais gosto, melhor de todo mundo
Jogar a pedra na água e ir buscar lá no fundo

Muitas frutas encontramos espalhadas por aqui
Às margens do Rio Negro, eu desfruto o açaí
Mas não posso esquecer, pois tenho que admitir
A que eu mais aprecio é o delicioso buriti

Tudo isso acontece na minha casa azul e rosa
Não me canso de falar no Rio Negro é mais vistosa
De onde vejo o tucano e também o boto rosa

-Raquel Farias Glória, aluna da Escola Municipal Bom Jesus

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade