Publicidade
Manaus
Manaus

Alunos da Ufam desenvolvem aplicativos para melhorar a qualidade de vida

Através da identificação das necessidades locais, os alunos desenvolveram projetos para reduzir o desperdício de lixo, para facilitar a vida de quem quer encontrar vagas de estacionamento e até para auxílio no relato de acidentes de trânsito ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) 14/08/2015 às 09:33
Show 1
Pelo menos 26 projetos serão expostos, nesta terça-feira, na 6º Feira de Aplicativos do Instituto de Computação (Icomp), no Centro de Convivência da Ufam.
Luana Carvalho Manaus (AM)

Viver ligado à tecnologia  não é algo tão surreal como se imaginava no século passado. Com os famosos aplicativos projetados para simplificar o dia a dia dos usuários, escolher um restaurante mais acessível, saber o horário exato que o ônibus vai passar, pedir um táxi e até uma carona, está cada vez mais fácil.

O conceito de “Smart Cities” – ou Cidades Inteligentes – vem sendo desenvolvido em todo o mundo para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Em Manaus, alunos de Engenharia e Ciência da Computação, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), também criaram aplicativos para melhorar a cidade.

Pelo menos 26 projetos serão expostos, nesta terça-feira, na 6º Feira de Aplicativos do Instituto de Computação (Icomp), no Centro de Convivência da Ufam.

Através da disciplina “Sistemas Distribuídos”, ministrada pelo professor Eduardo Souto, os alunos adotaram a ideia e formaram empresas virtuais para produzir novos serviços para dispositivos móveis. Os aplicativos ainda não estão disponíveis para download, embora os alunos tenham interesse em aprimorar o desenvolvimento dos Apps.

“Estamos otimistas para que algumas versões possam ser disponibilizadas para o público”, conta Eduardo. Durante o curso, os universitários deixaram de ser alunos e passaram a trabalhar como empresários na criação das “startups” universitárias.

“Como fazer uso da tecnologia de informação  para melhorar a vida em sociedade é um tema que tem além de ser interessante, no sentido de trazer resultados, está sendo bastante discutido. Mostra que os alunos estão de fato preocupados com a sociedade”, ressalta o coordenador dos projetos.

Através da identificação das necessidades locais, os alunos desenvolveram projetos para reduzir o desperdício de resíduos reaproveitáveis, para facilitar a vida de quem quer encontrar vagas de estacionamento e até para auxílio no relato de acidentes de trânsito ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Os alunos também desenvolveram uma solução eficaz para o gerenciamento e manutenção dos semáforos da cidade via Internet. “Com este aplicativo, um agente de trânsito credenciado pode gerenciar semáforos à distância. Basta uma simples ação de um agente credenciado e todo o transtorno é resolvido”, defendem os criadores do app.

Útil ao agradável

Nem todo mundo é adepto ao uso das novas tecnologias. Mas a  ideia de que, no futuro, tudo em uma cidade estará conectado à rede de Internet já começou a ser difundida em Manaus. O processo de aliar os aplicativos mobiles à rotina ainda não é um hábito do amazonense, mas, segundo o professor Eduardo Souto, a transformação começa a ser percebida.

 “Aqui em Manaus ainda estamos muito aquém do desejado. Mas o brasileiro começou a acordar e o amazonense também. Hoje em dia, se queremos sair de um canto para o outro, se usa o Waze. Se queremos encontrar um restaurante bom, usamos o Ifood. Começamos a observar que tem aplicativos que podem ser baixados gratuitamente e que trazem benefícios para nossas vidas. É preciso investir em mais inovações como estas”, completa o professor.

Encontros

Desenvolvido pelos universitários Jackson Leite, Kevin Takano e Ludymila Lobo, o aplicativo ‘Minha Tribo’ auxilia pessoas a organizar encontros para realizar atividades de interesse comum, a partir das preferências do usuário e localização de aparelhos móveis.

Estacionamento

Os universitários Alan Costa, André Serudo, Bruno Barreto e Tiago Hidalgo criaram o aplicativo Best Park, que tem como proposta facilitar a vida de quem quer encontrar vagas de estacionamento, mostrando os estacionamentos mais próximos, o número de vagas disponíveis e preços.

Rede colaborativa

O aplicativo propõe o auxílio no relato de acidentes de trânsito. Funciona como uma rede colaborativa onde usuários enviam registros fotográficos de acidentes, acompanhados de data, hora e localização. O sistema foi desenvolvido  por Ayan Abreu, Ervili Tarsila e Luan Uchôa.

Publicidade
Publicidade