Publicidade
Manaus
CAMPANHA

Alunos do AM buscam apoio para participar de prêmio mundial de empreendedorismo

Estudantes da Ufam selecionados para Hult Prize 2019, a maior competição de empreendedores universitários do mundo, querem arrecadar R$ 100 mil 18/02/2019 às 14:02 - Atualizado em 18/02/2019 às 14:03
Show 874 19e31bda 0bb4 4a44 848f 2f9a9b1e7f31
Foto: Junio Matos
Joana Queiroz Manaus (AM)

Três equipes de alunos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) estão se mobilizando para arrecadar R$ 100 mil para continuarem participando da competição Hult Prize, o maior prêmio de empreendedorismo estudantil do mundo, organizado em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU). Eles foram selecionados na primeira etapa, que aconteceu em dezembro no campus da Ufam, em Manaus, quando concorreram com mais de 200 mil alunos de 150 países.

Ao todo, são dez estudantes que compõem as três equipes. As equipes apresentaram projetos diferentes e, no próximo mês, devem viajar para as cidades de Oslo, na Noruega, Madri, na Espanha, e Londres, no Reino Unido. Os recursos são poucos e os jovens estão empenhados fazendo eventos, parcerias e buscando a colaboração de pessoas que possam contribuir na participação deles na competição.

Três equipes, três destinos

De acordo com Mariela Justa, a equipe Orbe foi classificada para viajar para Londres, na Grã-Bretanha. Ela é composta pelos alunos Douglas Ferreira, Juliana Tizatto, Thainá Bentes e Yanka Sombra, que competem com a proposta de atuar na geração de experiência para os jovens possibilitando que sejam empregados com agilidade.

A equipe Neptur foi classificada para viajar à cidade de Oslo. A Neptur é formada pelos alunos Mariela Justa, Maria Clara Chíxaro e Matheus Pantoja. Eles vão defender a proposta de uma modelo de negócio voltado ao turismo amazônico.

Já a equipe Meira, que tem como destino Madri, é composta pelos alunos Bruna Lins, Gabriel Saraiva, Lívia Ibernon e Paulo Simonetti, que vão defender a proposta de criar uma rede social que promova a interação entre jovens que buscam emprego e empregadores.

Bancar despesas da viagem

Mariela explica que os R$ 100 mil são para bancar todas as despesas das três equipes. “Nós estamos precisando desse dinheiro para poder chegar lá, poder concorrer e trazer visibilidade pro Amazonas, para Ufam, para Manaus e para o Brasil. Queremos mostrar o nosso potencial e trazendo experiências de volta”, assegura Mariela.

Os estudantes estão entusiasmados por terem sido selecionados e acreditam que poderão chegar à terceira etapa da competição e quem sabe até à final. De acordo com eles, é a primeira vez que o Amazonas participa dessa competição, que também tem parceria com a fundação Bill Clinton.

Para conseguir esse valor, os estudantes estão com uma “vaquinha” online. Eles também organizaram uma feijoada, que aconteceu ontem, domingo (17), no Clube dos Magistrados. Além disso, serão feitas rifas e outros eventos.

Ufam assegurou passagens

A temática a ser trabalhada pelas equipes que vão concorrer ao Hult Prize é o desemprego juvenil. A Administração Superior da Ufam assumiu as despesas com passagens aéreas. Para A CRÍTICA, o reitor da Ufam, Sylvio Puga, destacou a importância da competição Hult Prize, por ser um evento global que envolve o empreendedorismo, que cada vez mais as universidades estão se envolvendo nesse tema. 

“Quando nós vemos os alunos se organizando para participar de uma competição envolvendo esse tema e, no caso específico, uma competição internacional, o nosso papel é de apoiar, dentro dos nossos limites e torcer para que eles tenham os melhores resultados possíveis dentro da competição”, disse o reitor.

Ajude na ‘vaquinha’

Na “vaquinha” online, eles arrecadaram cerca de R$ 2 mil até agora. Quem quiser ajudar é só fazer sua doação através do endereço eletrônico  https://www.catarse.me/hultprize_ufam?ref=project_link. “Toda ajuda é bem-vinda”, afirmou a estudante Mariela.

Publicidade
Publicidade