Terça-feira, 24 de Novembro de 2020
FESTA ESPECIAL

Alunos do Palhoça do Popeye homenageiam 'heróis reais' no Dia das Crianças

Professores e alunos da instituição de ensino fizeram apresentação especial homenageando os garis, professores, motoboys e outras profissões que fazem a diferença no dia a dia



3_EC545F32-052C-4361-9413-34E2005BC12A.jpg Foto: Yasmin Feitosa
12/10/2020 às 08:59

Superação, reconhecimento e adaptação. Esta é a mensagem que o Jardim da Infância Palhoça do Popeye buscou passar aos estudantes no Dia das Crianças deste ano. Apresentando os "heróis da vida real", a unidade de ensino realizou uma apresentação que cativou a todas as crianças presentes na escola, localizada na avenida Dom Pedro I, no bairro Dom Pedro, Zona Oeste de Manaus.

Com as próprias professoras da instituição compondo o elenco dos "heróis reais", a apresentação teatral contou com as personagens: a super-médica Rose; a super-professora Andreia; a super-motoboy Ana Paula Lima; a supermãe Marilene e a super-gari Valesca.



Segundo a coordenadora da peça, professora Thays Menezes, a concepção da peça partiu da ideia de tornar conhecida às crianças, a realidade que vivenciada neste período de pandemia.

"Como tivemos um ano atípico, nós pensamos na ideia não só de falar dos heróis conhecidos pelas crianças, como Capitão América ou Batman. Mas passamos a querer colocar a realidade que vivenciamos nesse período de pandemia. Realmente surgiram heróis da vida real. [Queríamos] fazer com que a criança se conscientizasse deste momento e passasse a valorizar quem é o herói da vida real", contou a professora.

Heróis essenciais

Thays Menezes, que é pós-graduada em Educação Infantil, contou que a diretora da instituição que elencou as características dos personagens por cada um deles serem profissionais dos serviços essenciais da sociedade.

"Surgiu de uma ideia da diretora da escola vendo o Criança Esperança onde apresentaram os herois da vida real. Então jogaram essas perguntas para os adolescentes e pré-adolescentes no programa e cada um foi respondendo quem eles achavam que eram os heróis. A médica que salvou vidas, o motoboy que realizava entrega nas por não podemos sair de casa. Todos estes profissionais de serviços essenciais nessa fase", ressaltou Thays.

Reconhecimento

Durante a apresentação, umas das estudantes comentou que reconheceu na personagem supermãe, a sua própria mãe que cuidou dela no período que estava doente.

"Essa estudante ficou bem doente, com pneumonia. Ela teve que ser internada e depois ficar em repouso em casa. A mãe teve que se ausentar do trabalho para ficar cuidando da filha em casa. E para essa aluna, ficou gravada essa imagem da mãe cuidando dela", pontuou Thays.

A professora de inglês, Ana Paula Lima - que interpretou a "super-motoboy - conta que se sentiu lisonjeada por representar uma profissão que corres diversos riscos e que, durante a pandemia, estes riscos aumentaram.

"Eu me senti lisonjeada porque é uma profissão que correu risco desde o início. Não só da saúde mas também da violência que aumentou, com os assaltos e acidentes de trânsito. É uma profissão que precisa de um breve preparo físico, disposição emocional. Para levar os alimentos para as pessoas e para também trazer mercadorias para sua casa. Muitos deles estão por falta de opção às vezes", contou a professora.

Ana Paula destacou que durante o isolamento social, seu marido prestou serviços de entregador em um restaurante da cidade para ajudar a pagas as contas de casa.

"Utilizei muito o serviço de delivery durante o pico da pandemia. Inclusive meu esposo trabalhou como entregador de mercadorias e produtos, para aumentar nossa renda na época. Ele trabalhava em um restaurante e entrega os pedidos pela parte da manhã e à noite. Percebemos que no período noturno, que é o mais perigoso, era o período que mais tinham pedidos", ressaltou Ana Paula.

Adaptação

Outra personagem citada durante a apresentação foi a professora, que segundo a coordenadora da peça teatral, foi um profissional que em um intervalo curto teve que superar os desafios e se adaptar à nova realidade.

"Nesta mesma semana é comemorado o Dia do Professor, nós também somos heroínas. Resolvemos fazer um link nesta apresentação. Entrou o mês de março na pandemia e tivemos que pensar muito rápido em um jeito de não perder estes alunos", destacou Thays.

Com preparo de profissionais da saúde e de educação, as professoras conseguiram trazer a sala de aula para o ambiente virtual.

"Como nossa escola tem pais que são médicos eles mesmo se ofereceram para auxiliar na retomada. Uma mãe de um aluno que é pediatra fez uma palestra com toda a equipe. Tivemos formação com psicólogo também, porque identificamos crianças que ficaram com medo de sair de casa. Tudo isso pode mudar nas emoções das crianças. Como elas vão lidar com essa nova realidade, muito tempo dentro de casa em frente a eletrônicos", detalhou a coordenadora.

A unidade de ensino retomou às aulas presencias no dia 15 de julho, após realizar uma pesquisa consultando todos os pais das crianças da creche, que votaram unanimemente para o retorno das aulas presenciais todos os dias.

Thays ressaltou que durante este período de retomada, estão sendo cumpridas todas as medidas exigidas de higiene, distanciamento e proteção por todos os profissionais da creche. A coordenadora informou ainda que não houve registro de nenhum caso positivo após o retorno das aulas presenciais.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.