Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020
Manaus

Alunos do Sólon de Lucena param o trânsito em protesto contra furtos e arrastões na escola

Segundo a 22ª Cicom, os furtos, que costumavam ocorrer nas entradas e saídas de turnos do estabelecimento de ensino, criaram um clima de insegurança que levou os alunos a realizar o ato



1.jpg Cerca de 150 alunos participaram da manifestação
12/11/2014 às 01:29

Cerca de 150 alunos da Escola Estadual Sólon de Lucena fizeram uma manifestação na frente da escola, localizada na avenida Constantino Nery, bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul de Manaus, em protesto a uma onda de furtos e assaltos ocorridos no local nas trocas de turno.

Segundo o tenente R. Feitoza, da 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os furtos, que costumavam ocorrer nas entradas e saídas de turnos do estabelecimento de ensino, criaram um clima de insegurança geral. Alguns alunos chegaram a dizer que bandidos entravam na escola e realizavam arrastões lá dentro.



Tudo isso gerou uma indignação que impeliu os estudantes a organizar o ato, que começou por volta das 19h e terminou cerca de meia-hora depois, após os policiais militares chegarem e conversarem com os manifestantes. "Mesmo enquanto policiais, achamos que a reivindicação deles é válida. Fomos lá querendo diálogo e eles, no fundo, queriam alguém que os ouvisse. Os membros da guarnição chegaram a conversar com o diretor do colégio e a situação foi resolvida sem incidentes", contou o PM.

Ele ainda mencionou que a abordagem comunicativa dos policiais garantiu que os estudantes parassem rapidamente com o bloqueio da avenida Constantino Nery, algo que planejavam fazer. "Ao dizer que entendíamos como justo o que eles queriam e que iríamos atendê-los, conseguimos convencê-los a pararem de atrapalhar o trânsito, pois isso feriria o direito de outras pessoas, assim como o direito à segurança deles estava sendo ferido", relatou o tenente.

Mais policiamento prometido

Quando perguntado o que mudará depois da manifestação, R. Feitoza respondeu que mais policiamento será posto na área, mas ponderou sobre a questão macro que envolve a segurança pública. "Nosso papel nós fazemos, que é prender. No entanto, muitos dos que prendemos saem rápido, até por serem menores. Dias depois de serem detidos, eles voltam a delinquir. Isso cria um clima de impunidade e é isso que tem de ser mudado para que possamos dar segurança para a população", concluiu.


Confira o vídeo da manifestação: http://bit.ly/1B62t0L


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.