Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Manaus

Alunos responsáveis por 'trote' em faculdade serão identificados e expulsos, afirma diretora

A diretora-geral da Fametro explicou o que de fato aconteceu na Unidade 3 da faculdade, localizada na av. Constantino Nery, e disse que os responsáveis por causar pânico no local, possivelmente na tentativa de escapar de prova final, serão identificados e expulsos



1.jpg
Diversos boatos circularam no local durante a evacuação, desde assalto até desmoronamento, deixando alunos despeserados
06/07/2015 às 21:54

A direção da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) informou, na noite desta segunda-feira (6), que vai usar imagens do circuito interno de segurança da instituição para identificar e expulsar alunos responsáveis por um trote que causou tumulto e até mobilizou viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

"Foi uma irresponsabilidade porque estão lidando com vidas. Tenha certeza que nossos alunos estão seguros e já estamos verificando as filmagens com o objetivo de punir essas pessoas (que iniciaram o tumulto). Os envolvidos serão expulsos da instituição", acrescentou a diretora-geral da Fametro, Cinara Cardoso, após reunião realizada com todos os professores e coordenadores presentes.

O trote, que dava conta de que o prédio estava “desabando”, saiu do controle e causou correria na unidade da Fametro que fica localizada na avenida Constantino Nery, Zona Centro-Sul de Manaus. Uma multidão de alunos bloqueou por alguns minutos uma das principais vias da capital.

De acordo com professores e estudantes, tudo teve início por volta de 19h40, quando quatro alunos começaram a correr pelo corredor do sétimo andar da Unidade 3 gritando que o prédio estava desmoronando. O barulho de entulhos sendo removido na unidade pode ter sido usado por alunos para dar início ao trote.

A faculdade, que está em fim de semestre e realizava provas finais em diversas salas, foi tomada pelo pânico: pessoas relataram que universitários começaram a evacuar o prédio em desespero, alguns até com provas em mãos.

Cinara informou que tudo não passou de boatos criados por alunos. "Foi uma negligência de aluno, uma irresponsabilidade, infelizmente. Estamos no penúltimo dia de prova e isso foi feito para não se aplicar o exame", confirmou a diretora, que chegou a passar mal de nervosismo.

Dayene Souza, de 26 anos, aluna do curso de pedagogia na instituição, estava em outra unidade da Fametro quando ficou sabendo do ocorrido e se dirigiu ao local, na tentativa de encontrar uma amiga. "Quando cheguei já tinha acontecido o tumulto, foi tudo muito rápido. O pessoal tomou conta da avenida Constantino Nery e pararam a via", relata a universitária.

Outro aluno, que se identificou apenas como Luis Fernando, aluno de fonoaudiologia, explicou que diversos boatos tomaram conta do prédio durante a evacuação. "Começou com boatos de desmoronamento, depois falaram até de assalto e bomba. Todo mundo saiu correndo, os alunos ficaram desesperados", lembra.

O Corpo de Bombeiros ainda foi ao local e constatou que não havia nenhum risco, nem na estrutura física nem para os alunos presentes. A Polícia Militar, ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) também estiveram no local.

A avenida Constatino Nery ficou bloqueada, principalmente na via sentido Centro-bairro, mas foi liberada menos de uma hora após o ocorrido.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.