Publicidade
Manaus
INTERNET

AM é o 2º estado do Norte onde mais ciberataques foram detectados no 2º trimestre

Foram detectados mais de 1,2 milhão de ataques via links maliciosos no Estado, segundo o Relatório da Segurança Digital no Brasil, divulgado nesta quinta-feira (16). Uma em cada três pessoas da região pode ter sido vítima 16/08/2018 às 19:52 - Atualizado em 16/08/2018 às 21:02
Show celular be045972 eba2 4820 bff7 dcf671388435
Foto: Agência Brasil
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O Amazonas é o 2º estado da região Norte onde mais foram detectados ataques cibernéticos no 2º trimestre de 2018. Foram detectados 1.215.653 de ciberataques via links maliciosos no Estado, segundo o Relatório da Segurança Digital no Brasil, divulgado pelo dfndr lab nesta quinta-feira (16).

O dfndr lab é uma equipe global de especialistas em segurança digital com objetivo de combater a disseminação de links maliciosos e notícias falsas na internet. O Relatório é baseado nos dados de detecções de ciberataques aos celulares Android de mais de 21 milhões de usuários dos aplicativos dfndr.

Se considerarmos que o morador do Amazonas não recebeu mais que um ataque, pelo menos 30,3% da população local foi vítima de links maliciosos.

À frente do Amazonas no ranking de ataques está o Pará, com 1.948.468 detecções entre os meses de abril e junho. Roraima, outro nortista, é o estado onde menos links maliciosos foram encontrados no Brasil (982).

“Nos meses de abril, maio e junho, Centro-oeste, Norte e Sudeste foram as regiões com o maior número de detecções de links maliciosos por habitante. Ao todo, foram 4,1 milhões de detecções na região Norte que, pela primeira vez, atingiu a proporção de 1 detecção para cada 3 habitantes. Em números absolutos, a região Sudeste segue como o principal alvo, com 28 milhões de detecções e 49% dos registros no período”, aponta a dfndr lab no Relatório.

AM é o 13º estado com mais ataques

No Brasil todo, 63,8 milhões de detecções de ciberataques via links maliciosos ocorreram no 2º trimestre. “Isto significa que foram detectados 8 links maliciosos por segundo. Mais de 28 mil por hora”, afirma Emílio Simoni, diretor do dfndr lab.

O Amazonas é o 13º estado brasileiro com mais ataques detectados. Com 14.654.436 detecções, São Paulo lidera a lista.

Na comparação com o 1º semestre, onde foram detectados 56,9 milhões de ataques, o número aumentou 12,2%. O percentual de aumento está diretamente relacionado a datas comemorativas e grandes eventos que marcaram o período, como a Copa do Mundo e Dia dos Namorados, segundo o dfndr lab.


Homens são principais vítimas de ciberatques no Brasil. Fonte: Relatório da Segurança Digital no Brasil

“Quando comparado ao trimestre anterior, com temporada de férias escolares e carnaval, os meses de abril, maio e junho foram muito mais propícios a tentativas de ciberataques mais sofisticados e diversificados”, justifica o laboratório.

Os três tipos de links maliciosos mais detectados no Brasil durante o período analisado são os pishings via aplicativos de mensagens, a publicidade suspeita e as notícias falsas.

Pishings são links para uma página de oferta falsa, que induz o usuário a fornecer seus dados pessoais ou compartilhar outro link com seus contatos em troca de alguma vantagem. De acordo com o estudo, 57,4% (36,6 milhões de ataques) das detecções são pishings.

“Assuntos relacionados a futebol foram os mais usados como iscas em Phishing via app de mensagens. Ao todo, 33,4% de detecções da categoria prometiam desde camisas oficiais da Seleção Brasileira até temas de times de futebol para personalizar o WhatsApp”, diz o relatório.


Fonte: Relatório da Segurança Digital no Brasil

Fake News

As notícias falsas são o terceiro meio de disseminação de links maliciosos. Quando comparado ao 1º trimestre, as chamadas fake news tiveram um aumento de 50,6% no número de registros realizados pelo dfndr lab, saltando de 2,9 milhões para 4,4 milhões entre o primeiro e segundo trimestre de 2018. Na região Norte, 321.015 ataques por notícias falsas foram detectadas.

Publicidade
Publicidade