Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
SAÚDE

AM está há 29 dias sem óbitos por H1N1, mas mortes por Vírus Sincicial sobem

Estado já registra 33 mortes por H1N1 e 23 por Sincicial. Menores de 5 anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, obesos e neuropatas, que formam o grupo de risco, correspondem a 91,5% das vítimas



vacina_86F4A133-5D52-4E53-A860-FE6FDB9ECFF1.jpg
Foto: Reprodução/Internet
17/04/2019 às 20:13

O Estado do Amazonas está há 29 dias sem registrar óbito por Influenza A (H1N1). De acordo com a 23ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), divulgada nesta quarta-feira (17), o último caso foi registrado no dia 19 de março. Desde então, o número estagnou em 33 vítimas (26 em Manaus).

Para a gerente de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Nayara Maksoud, uma das razões para a estagnação dos óbitos foi a eficácia do plano de assistência executado na rede estadual, que envolveu, entre outras medidas, a reserva de leitos exclusivos para casos suspeitos.

“A principal medida foi termos reorganizado o plano de assistência das vitimas suspeitas de H1N1 dentro dos prontos-socorros adultos e infantis, oferecendo, a partir de então, assistência adequada aos casos, com a ampliação de leitos pediátricos e adultos exclusivos. Assim como o reforço nos cuidados com a segurança dos pacientes nas unidades e com ações permanentes de educação em saúde”, destaca Nayara.

O boletim desta quarta-feira mostra ainda que casos notificados de SRAG subiu de 1.074 para 1.094 casos. Desse total, 120 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 227 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV). O documento é elaborado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS- AM).

No interior, os óbitos por H1N1 também seguem sem alteração, com os três casos em Manacapuru, além de Parintins, Itacoatiara, Japurá e Urucurituba, com um caso cada.

Para o Sincicial, nesta edição, subiu de 20 para 23 casos óbitos, sendo 21 em Manaus, permanecendo no interior, um em Borba e outro em Manacapuru.

O número de óbitos por outros vírus respiratórios também continua o da última edição: em Manaus, um óbito por Parainfluenza tipo 3 e um pelo vírus Metapneumovírus; e, no interior, um óbito por Influenza A não subtipável, registrado no município de Maués.

Segundo a atualização do boletim, dos 59 pacientes graves que evoluíram para óbitos, entre fevereiro a abril de 2019, 54 deles faziam parte de grupo de risco mais suscetíveis, o que corresponde a 91,5%, com destaque para crianças menores de 5 anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas.

*Com informações da assessoria de imprensa.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.