Publicidade
Manaus
Manaus

Amarelinho: Retrato do abandono do calçadão e presença de usuários de drogas

Mato tomou conta da maior parte do complexo e usuários de drogas se escondem em buracos feitos na estrutura 15/11/2013 às 10:20
Show 1
Mato tomou conta do local que fica de frente para o rio Negro
Jéssica Vasconcelos Manaus, AM

O calçadão da praia do “Amarelinho”, na rua Boulevard Rio Negro, bairro de Educandos, Zona Sul,   deveria servir como ponto turístico, pois está de frente para o rio Negro, mas o cenário no local é de tal degradação que só  serve como ponto de encontro de usuários de drogas. O mato cresce em toda a orla e o lixo serve de esconderijo para os usuários.

Segundo o corretor Mauricio Pontes, 65, há 44 anos morando  no bairro, o Amarelinho  foi esquecido pelo poder público e os moradores não podem caminhar pelo calçadão com medo de ser assaltado. “A policia retira os usuários de drogas, mas no dia seguinte todos voltam”, contou o corretor.

De acordo com a aposentada, Eunice Pereira, 68, em alguns casos os dependentes químicos montam barracos na praia e saem somente a noite para circular no calçadão e praticar pequenos furtos.


A maior preocupação dos moradores é com os jovens que ficam expostos as drogas. “Eu tenho medo de deixar meus netos brincarem na orla, nunca se sabe quando um drogado vai oferecer um cigarro a eles”, acrescentou a aposentada.

Além dos problemas relacionados à falta de segurança, o calçadão do Amarelinho   virou “lixão”, pois  em todo o caminho nenhuma lixeira está instalada o que leva a população jogar todo o lixo na praia. A falta de manutenção na calçada e nos bancos da praça e o barulho provocado pelos bares a noite são motivo de reclamação dos moradores da área. “Quem visita  esse espaço a noite não encontra lanche, suco e água, aqui só tem bebida alcoólica o que atrai ainda mais os marginais”, enfatizou o corretor Mauricio Pontes.

Para  tentar amenizar a questão do lixo e o mato que se acumula alguns moradores se reúnem pra capinar a área.

E o problema com os usuários de drogas não é exclusivo do calçadão do Amarelinho, pois atrás da Feira Panair, também no Educandos, eles ocuparam o espaço público .

Planos

De acordo com Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), no momento são realizados somente serviços paliativos ao longo de todo o calçadão do Amarelinho. São serviços pequenos, como pinturas, reparos rápidos em estruturas de concreto e metal. Segundo a assessoria do órgão há uma proposta de  projeto de revitalização do local, mas somente para o ano que vem.

A última reforma no calçadão aconteceu há mais de 10 anos, na gestão do ex-prefeito Alfredo Nascimento.

Ação social

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) informou que realiza ações sociais quando é acionada para a apoiar a polícia em locais frequentados por dependentes químicos. Nessas ações, segundo a secretaria, os usuários são levados para o acolhimento onde passam entre três e quatro antes de serem entregues a família.

Publicidade
Publicidade