Sábado, 11 de Julho de 2020
LEVANTAMENTO

Amazonas deve registrar 5,2 mil novos casos de câncer, aponta Inca

Projeção do Instituto Nacional do Câncer (Inca) indica redução de 10% no número de diagnósticos em relação à última projeção, divulgada em 2018



show_agenciabrasil020812_ant8341_51C9C4C3-E6CB-4DF2-B811-2DFBF185172F.jpg Foto: Arquivo AC
05/02/2020 às 08:36

O Amazonas deve registrar 5,2 mil novos casos de câncer neste ano, conforme projeção do Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgada ontem (4). Deste total, 3,5 mil, ou 67% do total, devem ser registrados em Manaus. A média do Estado aponta redução de 10% no número de diagnósticos em relação à última projeção, divulgada em 2018, que projetou 5,8 mil novos casos para aquele ano. 

No Brasil, a tabela de 2020 mostrou um aumento de 8% em relação à projeção de 2018, passando de 634.880 para 685.960 novos diagnósticos/ano, com destaque para os cânceres mama (66.280 novos casos previstos para 2020) e próstata (65.840). Somente entre a população infantojuvenil são esperados 8.460 novos casos.



O presidente interino da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), médico mastologista Jesus Pinheiro, explica que, embora haja uma redução na estimativa, ainda há casos subnotificados da doença, o que mantém aceso o alerta para a população e autoridades.

Ele destaca que a projeção manteve em evidência os três tipos de câncer historicamente mais incidentes no Amazonas, para a população feminina: pele não melanoma (710 diagnósticos previstos), colo uterino (580) e mama (450). Para homens, o ranking aponta em primeiro, o câncer de próstata – mantendo-se como o de maior incidência (480)-, seguido do de pele não melanoma (380) e estômago (260).

No caso da taxa bruta de incidência, que aponta a quantidade de casos para cada 100 mil pessoas, os números foram os seguintes: 109,91 diagnósticos para cada grupo de homens e 137,93, para o mesmo grupo de mulheres.

As mulheres ainda são a maioria na projeção, ficando com 2,9 mil casos previstos para este ano, contra 2.350 previstos para os homens.
 
De acordo com o Inca, a Estimativa 2020 para os casos novos de câncer para cada ano considera informações coletadas pelos 27 Registros de Base Populacional existentes no País, que, por sua, vez, integram os dados dos 321 Registros Hospitalares de Câncer. De acordo com a publicação, os cânceres mais incidentes no País no período serão os de pele não melanoma, mama, próstata, cólon e reto, pulmão e estômago. Os números são apresentados por tipo de câncer (19 localizações no total), sexo, regiões do País, estados e capitais.   

Novos equipamentos

Em breve (a entrega estava marcada para o fim do mês, mas foi adiada pelo Ministério da Saúde), o governo deve entregar novos equipamentos de radioterapia na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon). Serão entregues a ampliação do serviço de radioterapia, que ganhou um novo acelerador linear, e a nova braquiterapia, serviço que aumenta as chances de cura de mulheres com câncer de colo do útero. 

Com o novo acelerador linear, segundo o governo, a FCecon zerará a fila de radioterapia. A ampliação do serviço faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde.  O investimento é resultado de parceria do Governo do Amazonas com o Ministério da Saúde.

Sem filas, oferta cresceu

Hoje, 5 de fevereiro, é o Dia Nacional da Mamografia. Considerado o mais eficaz para detecção do câncer de mama, o exame é oferecido na rede pública de saúde da capital, sem fila de espera. Em 2019, com dados consolidados até o mês de novembro, foram realizados 42.024 exames na rede pública do Amazonas. O número é 10% maior do que o total de procedimentos realizados em todo o ano de 2018, que fechou com 38.032.

 Em Manaus, o exame no sistema público é feito em 12 unidades de saúde estaduais, municipais e em serviços da rede privada credenciados pelo SUS, com marcação imediata pelo Sisreg e conclusão do laudo em até sete dias. No interior, todos os 61 municípios possuem aparelhos de mamografia, em unidades hospitalares ou policlínicas. Os exames são digitalizados e enviados para Manaus, onde são feitos os laudos.  O prazo médio para o resultado é de duas semanas.

Para ter acesso ao exame pelo SUS, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) orienta as pessoas a buscarem uma consulta na UBS mais próxima de casa. Caso julgue necessário, o profissional que fizer o atendimento solicitará  a mamografia.  O tempo médio de espera entre a solicitação e a data para realizar o exame via Sisreg é de 48 horas.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.