Quinta-feira, 23 de Setembro de 2021
TRISTE ESTATÍSTICA

Amazonas é o terceiro estado com maior número de mortes de policiais por Covid-19

Segundo dados do 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o Amazonas registrou a morte de 50 policiais civis e militares pela doença em 2020. Além disso, 704 policiais foram afastados devido complicações do coronavírus



share_big_186474356_10226065648812286_6432486103455286172_n_4D4C35F1-8504-490A-8455-CDBCFDB55942.jpg Foto: Iago Albuquerque/Freelancer
19/07/2021 às 06:40

Os profissionais da saúde foram e ainda são essenciais no combate à pandemia do coronavírus. Da mesma forma, os profissionais da segurança pública também somam à linha de frente da maior crise sanitária que o mundo já viveu. Assim como o país teve grandes perdas na área da saúde, com as forças de segurança não foi diferente. 

No Amazonas, 704 policiais militares e civis foram afastados do cargo devido a complicações causadas pelo coronavírus; e 50 policiais militares e civis morreram por conta da doença. Os dados são referentes ao 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública do ano passado e foram divulgados na última quinta-feira (15) no site oficial do estudo.



O Amazonas é o terceiro estado que mais teve perdas de profissionais da segurança pública para Covid-19, perdendo apenas para o Rio de Janeiro que registrou a morte de 65 policiais civis e militares. Em terceiro lugar ficou o Pará com 53 policiais mortos pelo coronavírus. O número total de mortes de policiais pela doença no Brasil é 472. No mesmo período foram registrados 130.946 afastamentos de policiais por conta da doença em todo o país.

A fonte dos dados da morte de policiais civis e militares, segundo o documento, é o Monitor da Violência, elaborado pelo G1, em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Atraso de implantação do SUSP

O Sistema Único de Segurança Pública (Susp) foi instituído pela Lei Nº 13,675 no dia 11 de junho de 2018. O sistema, que tem como órgão central o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), foi criado com o objetivo de integrar os órgãos de segurança e inteligência; padronizar informações, estatísticas e procedimentos; entre diversas outras medidas visando a integração das forças de segurança.

Entretanto, segundo o estudo, até fevereiro de 2021, o Amazonas e outros quatro estados (Pará, Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro) não tinham planos estaduais de segurança pública e defesa social. Este elemento era a condição legal para continuarem a receber recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). O estudo ressalta que este atraso dificultou ainda mais a implementação do SUSP no país.

Desempenho regular nos registros

O estudo ainda estabeleceu um ranking com os 26 estados e Distrito Federal, ordenando de melhor para pior ao fornecer dados e estatísticas detalhadas da segurança pública. O estudo tomou como base cinco critérios: conceito; informações registradas; informações perdidas; convergência e transparência. E separou os estados em três agrupamentos: Grupo 1 com pontuação final de 80 pontos ou mais; Grupo 2 com pontuação final entre 60 e 80 pontos e Grupo 3 com pontuação final de até 60 pontos.

De acordo com a tabela, o Amazonas teve um baixo desempenho nestes critérios, ficando na 23ª posição de 27. Além disso, o estado teve a pontuação final de apenas 54,68 pontos.

Investimentos na segurança

A equipe de reportagem da A CRÍTICA questionou a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM) sobre o estudo. Em nota, o órgão informou que já apresentou o Plano Estadual de Segurança Pública e que este plano é a base para o programa "Amazonas Mais Seguro", lançado pelo governador Wilson Lima, e que prevê investimentos da ordem de R$ 280 milhões nos próximos meses para a área de segurança pública.

"Quanto aos indicadores de transparência, a SSP ressalta que o órgão vem avançando nessa área e, desde o início deste ano, criou o SSP Dados, um espaço em seu site institucional que reúne todos os dados de registros de ocorrência do sistema de segurança pública no Estado, dos últimos três anos. Os indicadores são atualizados mensalmente após a conclusão de análises e validação de informações pelo setor de estatísticas da SSP", informou em nota.

A secretaria ainda acrescentou passou a adotar o Sinesp, serviço do governo federal que vai substituir o SISP (Sistema Integrado de Segurança Pública). 

"O Sinesp já está implementado em toda a capital e deve se estender a todo o interior através dessa parceria com o governo federal, que também prevê entre outros serviços tecnológicos. O Amazonas é o novo estado a aderir a esse sistema nacional de integração de dados, que permitirá maior controle e compartilhamento de informações entre os órgãos de segurança dos estados", acrescentou o órgão.

Forças policiais na linha de frente

Questionada pela A CRÍTICA sobre o grande número de mortes de policiais por Covid-19, a SSP ressaltou que os profissionais da segurança não interromperam suas atividades durante a pandemia de coronavírus e reforçaram também a prevenção à criminalidade durante o isolamento social no cumprimento das medidas restritivas.

"O governo do Amazonas promoveu diversas iniciativas para os servidores dessa área, nesse período, como entrega de equipamentos de segurança individual, adoção de protocolos diferenciados para abordagens policiais, sanitização de espaços públicos, como delegacias, batalhões e viaturas; além da oferta de máscaras e álcool em gel para as tropas", ressaltou a SSP.

A secretaria também informou que os profissionais da segurança pública pertenceram aos primeiros grupos imunizados contra Covid-19 no Amazonas.

"As gerências de Recursos Humanos de cada uma das corporações, assim como diretorias de saúde e Junta Médica, estiveram monitorando a situação de pacientes e orientando quantos aos procedimentos médicos adequados. É importante salientar que os servidores do sistema de segurança pública estiveram entre os primeiros a serem imunizados contra a Covid-19 no Amazonas", finalizou.

News b9c859f0 b845 415e 97aa d9fe4eb65dc1 96581f6b 36a1 4a7c a5d9 8f8c56b0b256
Repórter de A Crítica
Amazonense, nascido e criado em Manaus. Graduado em Jornalismo e mestrando em Antropologia Social, ambos pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.