Publicidade
Manaus
SAÚDE

Amazonas tem 17 municípios com risco de surto de poliomielite, aponta MS

Cobertura vacinal contra a doença está abaixo da considerada adequada pelo Ministério da Saúde 02/07/2018 às 21:01 - Atualizado em 03/07/2018 às 08:31
Show zcid030301 p01
Foto: Arquivo/AC
Silane Souza Manaus (AM)

O Amazonas tem 17 municípios com risco de surto de poliomielite. A ameaça se dá em razão da baixa cobertura vacinal da população. De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), de 2016, em cada uma dessas regiões, a vacinação contra a doença não chegou a atingir 50% dos moradores. Além destes, o Estado tem outros 37 municípios, dentre os quais Manaus, com cobertura vacinal abaixo do índice recomendado pelo MS – acima de 95%. 

O diretor presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Bernardino Albuquerque, disse que a situação exige atenção, principalmente por parte dos municípios, visto que é deles a responsabilidade pela programação de imunização da população. Para ele, se as autoridades de saúde municipais não se mobilizarem, a tendência é as pessoas se acomodarem e haver essa baixa cobertura vacinal.

“O que temos observado, não só no Amazonas, mas em todo o Brasil, é a falta de trabalho e de empenho a nível municipal com relação à vacinação. Isso tem ocasionado certo declínio na cobertura vacinal em todo o País, o que é muito preocupante, haja vista a ameaça e retorno de doenças que há muito tempo não são registradas, como o sarampo. Precisamos mudar essa realidade”, afirmou.

Albuquerque ressaltou que, no mês passado, a FVS elaborou um documento a todos os prefeitos e secretários municipais de saúde do interior mostrando a situação vacinal de cada um dos municípios e solicitando a implantação de ações de intensificação de imunização, já que não falta vacina. “Precisamos bater nessa tecla da importância da vacinação, que é disponível em todos os postos de saúde. É muito difícil essa situação de ter uma medida eficaz contra essas doenças – a vacina – e ver crianças morrendo com suspeita delas, como no caso do sarampo”, declarou.

De acordo com dados da FVS, a poliomielite não é registrada no Amazonas desde 1989. Os municípios do Estado com risco de surto da doença são Itamarati (com 10,1% de cobertura vacinal), Manacapuru (17,4%), Pauini (19,8%), Juruá (26,3%), Jutaí (27,2%), Eirunepé (32,9%), Nova Olinda do Norte (33,7%), Anamã (34,1%), Nhamundá (34,3%), Maraã (35,3%), Benjamin Constant (40,9%), Autazes (42,2%), Maués (45,2%), Tefé (45,9%), Carauari (46,9%), Barcelos (47%) e Parintins (47,1%).

Os municípios amazonenses com cobertura “adequada” para poliomielite são Urucará (95,4%), Japurá (96,8%), Careiro da Várzea (97,7%), Santa Isabel do Rio Negro (98,9%), Apuí (98,9%), Manaquiri (113,45%) e Itapiranga (118,8%). Silves é o único município do Estado que tem cobertura “alta” contra a doença (122,6%).

Os demais municípios não citados na matéria têm cobertura considerada “baixa” (entre 50 e 95% de cobertura vacinal).

No mês passado, embora o caso de poliomielite na Venezuela tenha sido descartado, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pediu que os países mantivessem uma forte vigilância, juntamente com uma alta cobertura de vacinação contra a doença a fim de minimizar o risco e as consequências de qualquer eventual reintrodução ou reaparecimento do poliovírus.

Início da campanha

Com alerta de possível surto da pólio na Venezuela, a Susam chegou a propor a antecipação da campanha de vacinação contra a doença no Amazonas, de agosto para este mês, o que não ocorreu até agora, em função da informação de surto ter sido descartada posteriormente.

Publicidade
Publicidade