Publicidade
Manaus
SAÚDE PÚBLICA

Amazonas tem a quarta morte por sarampo; vítima é uma mulher de 44 anos

Esta é a primeira vítima adulta que veio a óbito em decorrência da doença. Outras vítimas eram bebês menores de um ano de idade 28/08/2018 às 18:23 - Atualizado em 28/08/2018 às 19:00
Show sarampo 5af857af d37c 4cec a9c9 a24ffbf804bc
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) divulgou, nesta terça-feira (28), o quarto óbito por sarampo no Amazonas. A vítima é uma mulher de 44 anos, do município de Autazes, que deu entrada no Hospital da Zona Norte, em Manaus, no dia 27 de julho, apresentando comorbidade (hipertensão, diabetes) e que foi a óbito por complicações do sarampo no dia 04 de agosto. O último caso de morte havia sido registrado no Estado no último dia 17 de agosto.

Ao todo o Estado tem confirmados outros três óbitos, todos em menores de um ano - dois em Manaus e outro em Autazes. Ainda conforme o boletim, o Estado tem 8.595 casos notificados da doença, distribuídos em 45 municípios. São 1.211 casos confirmados de sarampo, sendo 852 em Manaus, 194 em Manacapuru e 163 casos nos seguintes municípios: Itacoatiara (44), Autazes (21), Coari (24),  Parintins (20), Iranduba (16), Rio Preto da Eva (13), Novo Airão (11), Presidente Figueiredo (10) Tapauá (03) e Barcelos (01).

Os municípios com o maior número de notificações são Manaus, com 6.958 casos, e Manacapuru com 911. Itacoatiara tem 109 casos notificados, Parintins tem 70, Iranduba tem 64,  Coari tem 49, Autazes tem 45, Rio Preto da Eva tem 42, Manaquiri tem 40, Novo Airão tem 32 e Careiro tem 30.

A Campanha Nacional de Vacinação contra Sarampo e Poliomielite segue até  a próxima sexta-feira, 31 de agosto. A vacinação é feita pelas Prefeituras municipais. O resultado parcial no Amazonas mostra que, até o momento, foram vacinados, contra o sarampo, 78% do público-alvo, correspondendo a 239.251 crianças.  Para poliomielite, a cobertura é de 63%, ou seja, 193.403 crianças imunizadas. A cobertura da vacina contra o sarampo é maior, porque Manaus antecipou a campanha, desde abril, em função do surto na cidade.

Contra o sarampo, não existe outra foram de controle que não seja pela vacinação da tríplice viral, explica o diretor presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque. "Quanto maior o número de pessoas vacinadas mais difícil será a circulação do vírus na comunidade, tendo em vista, que no meio ambiente o vírus sobrevive apenas duas horas, por isso, para ele, o homem é o principal hospedeiro", explicou.

Bernardino esclarece que a pessoa imunizada além de se proteger, também protege o coletivo. "A meta é imunizar até 95% do público-alvo, não esquecendo que a tríplice viral é oferecida no serviço básico de saúde para outras faixa etárias de forma rotineira, portanto, quem não se vacinou, ainda dá tempo, o prazo termina nesta sexta-feira", alertou.

O sarampo, para  Bernardino Albuquerque, é uma doença extremamente contagiosa e o seu período longo de incubação proporciona o maior tempo de exposição das pessoas ao vírus. "Os casos graves da doença estão acontecendo e os óbitos também, a circulação do vírus está presente tanto na capital quanto no interior e para evitar basta se vacinar", destaca.

Ações de combate

A FVS, que é responsável pela distribuição de vacinas no Estado, informa que todos os municípios estão abastecidos. O órgão também atua na capacitação técnica dos profissionais. No período de 27 a 31 de agosto, quatro técnicos de vigilância epidemiológica da FVS e quatro da Organização Pan Americana (OPAS)  realizaram visita técnica nos municípios do Juruá - Urucurituba, Itacoatiara e Anamã.  Além disso, será realizado nos dias 29 a 31 de agosto, Capacitação de Vigilância em Saúde para Resposta Rápida para Surto de Sarampo no Amazonas para os profissionais de saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena (Disei- Manaus), na sede da FVS, no horário de 8h às 17h.

Baixa adesão de vacinação nas escolas estaduais

No período de 20 a 24 de agosto, foram contabilizadas a aplicação da tríplice viral 9.330 pessoas foram atendidas, 3.220 (34%) foram vacinadas, destes,  mais da metade do público alvo, ou seja, 4.848, que corresponde a (52%) se recusaram a receber a vacina e apenas 1.262 (14%) pessoas estavam com esquema de vacinação completo.

A Campanha, que faz parte das ações de promoção à saúde para a prevenção do sarampo com a vacina Tríplice viral nas escolas estaduais (Zonas Norte e Oeste) e outras instituições de Manaus, foram vacinadas até o momento, de 23.624 doses aplicadas. 

Bernadino salienta que o sarampo espalha-se mais facilmente em locais que apresentem grande concentração de pessoas – como escolas, festas, shopping, cinema, entre outros locais; o vírus é altamente contagioso e a não vacinação aumenta o risco da população de adoecer. “Estamos fazendo um esforço extraordinário de levar as escolas a equipe de imunização para vacinar os estudantes, no entanto, a taxa de recusa está muito elevado, o que impede o bom andamento da campanha”, explica Bernardino e acrescenta que os pais e responsáveis precisam compreender que a vacina é a única forma de evitar a doença.

Publicidade
Publicidade