Publicidade
Manaus
Violência sexual

Amazonas teve 726 estupros registrados em 2015, diz anuário de segurança pública

O número é 25,3% menor que o registrado no ano anterior, 2014, quando ocorreram 971 crimes de violência sexual no Estado 03/11/2016 às 11:48 - Atualizado em 03/11/2016 às 14:16
Show agencia brasil25112012ef1
O estudo é produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) (Elza Fiúza/ABr)
Vinicius Leal Manaus (AM)

Foram registrados no Amazonas 726 estupros no ano de 2015, conforme dados divulgados hoje (3) dentro do 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O número é 25,3% menor que o registrado no ano anterior, 2014, quando ocorreram 971 crimes de violência sexual no Estado, uma diferença 245 estupros entre um ano e outro. O estudo é produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e possui informações em nível de Brasil e por cada estado brasileiro.

Os dados referentes ao Amazonas foram repassados ao Fórum pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). De acordo com as informações divulgadas, ocorreram no Estado no ano de 2015 18,4 estupros a cada 100 mil habitantes – sendo que habitam no Amazonas 4,002 milhões de pessoas. No ano anterior, em 2014, o mesmo número era maior: 25,1 estupros por cada grupo de 100 mil habitantes.

A diminuição do número de estupros no Amazonas acompanha a queda em nível de Brasil. Em todo o País em 2015 foram registrados 45.460 crimes de violência sexual, uma retração de 4.978 casos em relação ao ano anterior, 2014, ou menos 9,9%, quando foram registrados 50.438 estupros. Apesar das diminuições, o FBSP divulgou que “não é possível afirmar que realmente houve redução do número de estupros no Brasil, já que a subnotificação desse tipo de crime é extremamente alta” no País.

“O crime de estupro é aquele que apresenta a maior taxa de subnotificação no mundo, então é difícil avaliar se houve de fato uma redução da incidência desse crime no país”, disse a diretora executiva do Fórum, Samira Bueno. Segundo o órgão, apenas 10% dos casos de estupro chegam ao conhecimento da polícia. “Pesquisas de vitimização produzidas no Brasil e no mundo indicam que os principais motivos apontados pelas vítimas para não reportar o crime às instituições policiais são o medo de sofrer represálias e a crença que a polícia não poderia fazer nada ou não se empenharia no caso”, afirmou Samira.

Dados sem qualidade

Os dados fornecidos pelo Amazonas ao anuário foram apresentados com uma ressalva: “não há como atestar a qualidade dos dados informados”, ou seja, as informações dos crimes no Estado não seriam seguras. O Amazonas foi o único Estado do Brasil com tal ressalva. A respeito disso, o titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública, Sérgio Fontes, afirmou que houve uma diferença na metodologia.

“É um erro que não queríamos ter protagonizado. O servidor responsável pelas informações realmente teve uma divergência e não atualizou (os dados corretamente). O funcionário responsável pela estatística divergia. Foi um equívoco da Secretaria. Fizemos em uma metodologia diferente, que já foi ajustada para o próximo anuário”, explicou Sérgio Fontes.

Tentativas de estupro

Outro dado importante sobre crimes de violência sexual são os registros de tentativa de estupro, quando o crime não é consumado. No Amazonas, em 2015, foram registrados 113 tentativas de estupro, contra 261 casos no ano anterior, 2014, uma retração 148 crimes, ou menos 56,8%. Na comparação por cada 100 mil habitantes, em 2015 ocorreram 2,9 tentativas de estupros a cada grupo de 100 mil pessoas no Amazonas. No ano de 2014, essa taxa era de 6,7 casos a cada 100 mil habitantes.

Publicidade
Publicidade