Sexta-feira, 05 de Março de 2021
RÉVEILLON DIFERENTE

Amazonenses buscam alternativas seguras para noite de réveillon fora de casa

Aluguel de flutuantes para a família, sítios particulares e até quartos de hotel valem na hora da virada de ano. Procura por hotéis em Manaus teve até mesmo um aumento no mês de dezembro



share_big_goinn_B5356F08-C299-42C2-98D7-8B95B044B28A.jpg
21/12/2020 às 12:11

O Réveillon é o período marcado pelo grande número de viagens turísticas, seja para assistir à queima de fogos em uma praia à beira-mar, ou fazer a contagem da entrada do ano novo acompanhado de amigos e familiares. A poucos dias do período de celebrações que encerram o ano de 2020, muitos amazonenses continuam se reinventando em tempos de pandemia, no intuito de não perder a experiência do “momento da virada”, sem deixar de obedecer aos protocolos de segurança.

Este é o caso da assistente comercial Naissa Miranda e seu esposo Igor Miranda, que decidiram passar os primeiros momentos de 2021 em um quarto de hotel na cidade de Manaus.



“Visando este momento que estamos vivendo durante a pandemia, optamos por reservar um lugar onde possamos ficar mais tranquilos e longe do estresse. Todo final de ano, nós passamos com familiares e este ano decidimos fazer algo diferente para a gente. Porém com a pandemia, as opções ficaram limitadas”, disse Naissa.


O casal Naissa e Igor Miranda buscam um quarto de hotel para diversificar a virada do ano. Foto: Arquivo Pessoal

Miranda confessou que esta ideia surgiu como forma de fugir da rotina para passar um tempo com o marido, com quem se relaciona há 5 anos.

“Estamos casados mesmo há 1 ano e 6 meses, mas estamos juntos há 5 anos. Não tínhamos costume de viajar por conta da nossa rotina. Eu, por exemplo, trabalho de segunda a sábado, meu marido trabalha de segunda a sexta, mas às vezes alterna em turnos. Então é bem difícil fazermos viagens juntos.

Naissa contou que está à procura de um hotel que possa receber animais de estimação, tendo em vista que o casal tem um cachorro de estimação. Além disso, pretende fechar a reserva que inclui a ceia com a estadia.

“A princípio queremos um hotel que seja ‘pet friendly’, para poder levar nossa cachorrinha junto. Mas infelizmente, ainda não encontramos. Ainda estou à procura porque não são todos os hoteis que oferecem pacote de final de ano. Espero que daqui até o Natal a gente encontre. Pretendemos reservar o buffet para nós dois, um pacote completo que inclui estadia e a ceia”, contou a amazonense.

A assistente comercial explicou ainda que não deixará de obedecer aos protocolos orientados pelo Ministério da Saúde (MS). Mesmo que ela e o marido já terem sido infectados pelo coronavírus. “Nós tivemos covid-19. A mãe do meu marido também teve. Não perdemos nenhum parente, porém chegamos a perder alguns amigos e vizinhos para esta doença”, descreveu Naissa.

Retomada “tímida”

Apesar de que uma das orientações da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é de que as pessoas passem as festas de Natal e Réveillon em casa e celebre apenas com pessoas que moram na mesma residência. Isto não impede que estas mesmas pessoas possam celebrar isoladas em estadias de hoteis, por exemplo.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Amazonas (Abih-AM), Roberto Bulbol, o setor observa que houve um aumento nas reservas de estadias para o final do ano. Porém ainda é um crescimento “tímido”.

“Estávamos com um crescimento desde o segundo semestre de 2019. Nós tínhamos uma expectativa muito grande em relação ao ano de 2020. Depois com a pandemia, os nossos negócios foram a zero. Tivemos um período de 6% de ocupação na rede hoteleira de maio a julho. A partir do mês de outubro houve um crescimento, ainda que tímido. Vamos fechar o ano de 2020, talvez, com 21% de ocupação”, pontuou o presidente.

Além disso, o presidente da Abih-AM ressaltou que os poucos hotéis que estão fornecendo estes pacotes de fim de ano, não deixarão de obedecer às normas sanitárias.

“Estamos tendo todo o cuidado de não causar aglomerações. Não podemos fazer réveillon como acontecia antigamente, como o tradicional Réveillon do Tropical todo ano, ou ainda uma comemoração de virada do ano em um hotel de selva. Infelizmente, hoje vai ser algo mais restrito. Poucos hotéis estão recebendo estadias de fim de ano, um casal ou outro que quer fazer algo diferente. Mas nós estamos obedecendo todos os procedimentos de segurança, não podemos fugir disso. Mesmo antes da pandemia, se você não tiver segurança, você não tem hóspede. É preciso fornecer segurança ao cliente.”, descreveu Bulbol.

Expectativas

Bulbol acredita que a chegada da vacina vai trazer a segurança para que o setor hoteleiro do Amazonas possa voltar gradativamente ao crescimento.

“A nossa maior expectativa hoje é a vacina. A segurança que esta vacina vai transmitir às pessoas, vai voltar uma rotina de você poder sair, de poder participar de algumas reuniões. E logo, logo às viagens. Esperamos que em 2021 as coisas melhorem. A gente sabe que o Covid-19 chegou, mas hoje já começa a conviver e combater melhor esta doença que nos primeiros meses não sabíamos o que era. E isso é o que nosso setor espera, que a economia volte ao mesmo patamar que estávamos antes desta doença, o setor hoteleiro estava em crescimento. A tendência vai voltar, mas será lenta”, detalhou o presidente.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.