Publicidade
Manaus
FIEL DA BALANÇA

Amazonino e Wilson disputam voto dos 40% que não escolheram os dois no 1º turno

No pleito deste ano, 781,8 mil eleitores votaram em branco, nulo ou em algum dos candidatos que está fora da disputa pelo governo do Amazonas 27/10/2018 às 01:49
Show votacao 23107774 f087 43bd a1be 07f537878c88
Foto: Reprodução/Internet
Náis Campos Manaus (AM)

O resultado da disputa para o governado do Estado, no domingo (28), está nas mãos de quem não votou nem em Wilson Lima (PSC) nem em Amazonino Mendes (PDT), já que a disputa no primeiro turno terminou praticamente empatada. Quase 40% dos eleitores (781,8 mil) votaram em branco, nulo ou em algum dos demais candidatos. Isso sem falar nos 469,6 mil eleitores (19% do total) que nem se deram ao trabalho de sair de casa para votar.

A caça a esses eleitores foi a prioridade dos dois candidatos nas últimas semanas. A diferença de menos de 1% entre os dois não ultrapassou a barreira dos 17 mil votos. O atual governador obteve 579.016 votos (32,74% dos votos válidos) e Lima, 596.585 (33,73%).

Entre os candidatos que não passaram para o segundo turno, os mais visados são o deputado estadual David Almeida (PSB) que obteve 23,6% (416 mil votos) e o senador Omar Aziz (PSD), com seus 142 mil votos (8,7%). Os dois ex-postulantes ao governo não manifestaram apoios explícitos a nenhum dos candidatos no segundo turno. 

Analistas avaliam que o alto número de brancos e nulos, que vem desde as eleições de 2014, está atrelado ao descrédito da população com a política. “No entanto, com os ânimos aflorados pela disputa presidencial, passamos a presenciar um sentimento que andava desgarrado do eleitor: o orgulho de votar, de sair de casa e fazer a sua parte no processo eleitoral”, observa o analista político, Marcel Valin.

Polarização

Na opinião do especialista, o cenário do segundo turno das eleições estaduais revela uma polarização interessante: “novidade” versus “experiência”. Apesar da alcunha de populistas que os dois candidatos podem receber, continua Valin, os estilos de ambos são bem diferentes. “Um, que tem na experiência o seu maior trunfo, aposta no passado de realizações para emplacar mais um mandato. O outro, novidade, vê na liberdade de um governo limpo, a chance de fazer história derrotando o atual governador”, avalia. 

Como 1/3 dos eleitores aptos a votar no Amazonas invalidaram seus votos, o advogado Carlos Santiago não vê chances de que esse público mude de opinião até o dia da votação. Para o analista político é mais fácil convencer quem preferiu outros candidatos ao governo no primeiro turno.

“A resposta do eleitor foi clara: 469.693 pessoas manifestaram que não votar era o seu desejo (abstenções); outros 39.614 eleitores provaram que nenhum dos dois candidatos os representava (brancos) e para 149.036 as candidaturas provocaram repulsas e votaram ‘nulo’ em protesto”, detalha Santiago.

Para o analista, quem invalidou seu voto tem dificuldades de mudar de opinião e sequer manifestam a vontade de migrar sua preferência para reaproveitamento de qualquer candidato. “Migrar para eles não faz a menor diferença, é sintomático. A tendência é que esse número de abstenções, até como paramento internacional, venha a crescer ao término da eleição”, projeta o advogado.

Cartada final

Para compensar a baixa votação na capital, a coordenação da campanha de Amazonino Mendes declara que vai continuar nas ruas e nas redes sociais mostrando as propostas e tudo que já realizou o candidato. Já os coordenadores de Wilson Lima direcionam suas ações ao interior do Estado onde o jornalista obteve votação menor do que a capital. Tanto que na última semana, o candidato do PSC visitou oito municípios em apenas quatro dias.

O QUE DIZEM OS CANDIDATOS

Amazonino Mendes (PDT)

Tem muito eleitor ainda indeciso e quer saber? Ele não está errado, não. Está pensando sobre o futuro, desconfiando das propostas irreais, dos discursos vazios. Realmente é preciso prestar muita atenção, ver quem só fala, fala e não faz nada. Quem tem e quem não tem compromisso.

Eu sei que você, na hora de votar, vai tomar a decisão correta para você e para o nosso Amazonas.  Mesmo que você esteja indignado, sem esperança, vote a favor do Amazonas. Mais do que nunca o Amazonas precisa vencer. Você precisa vencer.

Quatro milhões de amazonenses precisam vencer. Vamos juntos ajudar esse Amazonas com a vitória da verdade, com a tua vitória. Com a vitória do povo! Vou continuar pregando o processo de equilíbrio das contas públicas, recuperação do poder aquisitivo dos salários dos servidores, melhorias nos atendimentos à saúde e na segurança pública. O Bolsa Família Estadual vai ajudar os responsáveis pelas famílias que ainda não conseguiram emprego.

WILSON LIMA (PSC)

Tenho mantido contato com a população na fase final da campanha de 2018, com eventos de rua, viagens a municípios do interior e reuniões com apoiadores de campanha. Nessas ocasiões apresento minhas suas propostas para os principais temas de interesse do eleitor: como segurança, saúde, educação, setor primário e geração de emprego e renda.

É uma oportunidade também para reforçar os esclarecimentos sobre as notícias falsas que vêm sendo divulgadas ao longo desta eleição, principalmente no segundo turno, em uma clara tentativa de desestabilizar a minha campanha que lidera as intenções de votos.

Também, caso vença, vou isentar o pagamento do IPVA e anistiar as dívidas de motos até 150 cilindradas; criar em Manaus uma central de atendimento à população do interior e manter um diálogo constante com as comunidades indígenas para preservação do meio ambiente das culturas dos povos locais. Na educação, ampliar o número de professores; recuperar as escolas; investir na capacitação dos profissionais da educação; investir no ensino técnico profissionalizante.

Publicidade
Publicidade