Domingo, 19 de Maio de 2019
Manaus

Ambulâncias seguem paradas por falta de macas, que ficam retidas dentro de pronto-socorro

Fato foi flagrado pela reportagem de A Crítica na tarde deste domingo (5), na entrada do Pronto-socorro do Dr. João Lúcio, na Zona Leste de Manaus. Sem as macas, que são utilizadas para suprir falta de leitos no hospital, ambulâncias são incapacitadas de atender novas ocorrências



1.jpg
Reportagem flagrou cinco ambulâncias paradas, impedidas de atender por falta de macas. Alguns dos veículos já estavam parados havia mais de três horas
06/07/2015 às 09:27

Cinco ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) passaram a maior parte da tarde de domingo (5) paradas em frente ao Pronto-socorro Dr. João Lúcio, localizado na Zona Leste, enquanto chamadas de socorro por telefone aguardavam horas para serem atendidas.  

O motivo é que os veículos estavam sem as macas, retidas dentro do hospital que está com falta de leitos. “Se a gente não ficar aqui aguardando a liberação da maca, eles não nos devolvem e a ambulância fica sem poder ser utilizada”, disse a enfermeira de uma das ambulâncias, que pediu para não ter o nome publicado.

Alguns dos veículos já estavam parados havia mais de três horas. Na ficha de controle de uma das ambulâncias, constava que a mesma havia chegado por volta das 13h no hospital para deixar um paciente e, às 16h, ainda aguardava a maca para voltar para à base e fazer novos atendimentos.

De acordo com funcionários, que preferem não revelar seus nomes, o problema é que está faltando leito no pronto socorro para colocar os pacientes que chegam e, para que eles não fiquem no chão ou corredor, a direção do pronto socorro prefere mantê-los na maca da ambulância do Samu.

O pior é que mesmo usando as macas do Samu, ainda há paciente que ficam deitados em camas improvisados por familiares, aguardando atendimento.  Há denúncias também que está faltando cadeira de rodas no pronto-socorro do João Lúcio. Um policial que estava no local disse que as macas também estavam sendo utilizadas para fazer transferência de detentos.

Susam

Em nota, a Susam afirmou que são registrados picos nos finais de semana e que todos os esforços são realizados para assegurar o atendimento dos pacientes. Confira abaixo a nota na íntegra:

“O diretor do Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio, Felizardo Monteiro, informa que a unidade tem uma demanda diária expressiva, que costuma registrar picos nos finais de semana, e que todos os esforços são realizados para assegurar o atendimento dos pacientes. Nenhum paciente é recusado.

O normal é que as macas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) sejam liberadas em pouco tempo, mas há situações pontuais, como a que ocorreu neste domingo, em que este tempo é maior, devido justamente à demanda mais expressiva. É importante destacar que há várias situações em que os pacientes removidos pelo SAMU poderiam ser regulados para outras unidades de urgência da rede - que além do HPS João Lúcio conta, ainda, com mais três prontos-socorros para público adulto e 10 Serviços de Pronto Atendimento (SPAs).

Dos seis casos removidos para o hospital pelo SAMU neste domingo e cujas ambulâncias aguardavam liberação, a rigor, apenas um (de traumatismo cranioencefálico) não poderia, em princípio, deixar de ser regulado para o HPS João Lúcio. Os outros cinco poderiam ser encaminhados para outras unidades da rede de urgência.

Esta é uma situação que tem sido objeto de tratativas entre a Secretaria-Adjunta de Atenção Especializada da capital, que já levou a questão, por diversas vezes, à coordenação do SAMU e à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). O assunto foi novamente discutido neste domingo, com a coordenação do SAMU, no sentido de assegurar uma regulação mais criteriosa dos casos enviados ao HPS João Lúcio. A Susam está agendando com a Semsa uma reunião para discutir a reordenação do fluxo de atendimento e esta questão da regulação é um dos temas em pauta”.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.