Publicidade
Manaus
Manaus

Ambulantes de fora do Amazonas aproveitam o forte calor manauara para lucrar com vendas

Estrangeiros vão para as ruas do Centro de Manaus vender água e refrigerante, principalmente. Eles chegam a faturar mais do que na terra natal 21/09/2015 às 19:59
Show 1
Em meio ao calor de quase 40 graus e com o trânsito parado em horário de pico, o jeito é se hidratar com muita água
Silane Souza Manaus (AM)

Sem conseguir emprego em Manaus, imigrantes vindos da Bolívia, Colômbia, Cuba, Peru, Venezuela e do Haiti recorrem à atividade informal para ganhar dinheiro. A maioria vende água mineral e refrigerante no Centro da cidade. A estimativa é que aproximadamente 70% dos quase 200 vendedores ambulantes que circulam pelo local são estrangeiros. Muitos afirmam que saíram do país de origem por conta das dificuldades econômicas.

O cubano Alexandre Miranda, 43, está há três meses em Manaus. Ele conta que deixou a terra natal por conta da crise econômica aliada à falta de emprego. Mas na capital amazonense o cenário não é tão diferente, visto que, mesmo sendo licenciado em educação física, não consegue emprego. “Toda semana vou ao Sine (Sistema Nacional de Emprego) , mas estou encontrando dificuldade para conseguir um trabalho por ser estrangeiro. Por isso, estou vendendo água mineral”, relatou.

Apesar das dificuldades, Miranda destacou que pretende permanecer em Manaus. Ele também quer guardar o dinheiro que ganha com a venda de água mineral e refrigerante para alugar um espaço e abrir um restaurante.

O venezuelano Ian Hernandes, 31, também veio para o Amazonas por causa da crise na Venezuela. Segundo ele, além da escassez de alimentos, há muitas ações de delinquentes e roubos. Mas há dois meses em Manaus ele ainda não conseguiu emprego. “Já fui atrás de trabalho, mas não encontrei e como preciso ajudar minha família que ficou na Venezuela vim trabalhar vendendo água, pois é mais fácil e dá para garantir uma boa renda”, disse.

O vendedor Douglas Vera, 31, também é da Venezuela, mas mora em Manaus há um ano e meio. Ele  casou com uma amazonense e tem uma filha. Fez diversos testes para emprego, mas até hoje não foi chamado para nem um deles. O jeito é enfrentar e aproveitar o clima quente da cidade para vender bebidas geladas. “A gente consegue vender bastante água e refrigerante porque a procura é boa todos os dias”, declarou. Ele veio para o Amazonas por ser um Estado próximo do seu país de origem.

No calor intenso, aumenta o consumo de água. Gilson Mello

De acordo com os próprios imigrantes, a renda obtida num dia de trabalho vária muito, mas em média, gira em torno de R$ 60 a R$ 90. Eles destacam que esse valor é superior ao que é alcançado em um emprego com carteira assinada, o que compensa o cansaço. Mas a atividade de ambulante não é mais permitida pela Prefeitura de Manaus. A PMM pretende evitar que as vias já desocupadas por camelôs sejam novamente usadas para a venda irregular de produtos.

Alerta

Ficar exposto durante muitas horas sob o sol, com calor de mais de 38 graus, pode acarretar diversos problemas de saúde, entre eles queimadura solar e desidratação. O alerta é do diretor-presidente da Fundação Alfredo da Matta (Fuam), Hélder Cavalcante.  

Segundo ele, que é dermatologista, quando exposto ao sol, a pessoa deve se proteger utilizando filtro solar, boné e camisa de manga comprida, para impedir que o sol atinja diretamente a pele, bem como repor o líquido que perde com o suor, bebendo muita água, suco, entre outros, para não ficar desidratado.

Publicidade
Publicidade