Domingo, 23 de Janeiro de 2022
Comércio

Ambulantes em Manaus alegam vendas abaixo do esperado neste Dia dos Finados

Para a maioria dos vendedores, a baixa nas vendas foi influenciada pela pandemia da Covid-19



DAE380C5-BA70-4CED-9CF1-22F339C3F7A6_8C420FF3-A6C1-4D5B-AA98-57C3380CD019.jpeg Foto: Junio Matos
02/11/2021 às 14:08

Velas, flores, coroas e água são alguns dos principais itens vendidos durante o Dia dos Finados. No entanto, nesta terça-feira (2), mesmo com a alta quantidade de pessoas visitando os cemitérios de Manaus, a venda destes produtos parece que ficará abaixo do esperado. Isso é o que relatam alguns dos vários vendedores espalhados entre os cemitérios da capital.

Para a maioria desses vendedores, a baixa nas vendas deve-se a Pandemia da Covid-19, que teria reduzido a quantidade de visitações neste feriado. É o que afirma a vendedora de velas Maria Nilda da Silva Ramos, que há 10 dez anos – com exceção do ano passado – vende o produto na porta do Cemitério São João Batista, localizado na Av. Alvaro Maia, bairro Nossa Sra. das Gracas, Zona Centro-Sul.



“Está fraco. Geralmente trago umas 30 caixas grandes com velas, e até agora não conseguimos vender nem 10. Antes era mais movimentado, mas acho que tem a ver com a Pandemia, porque o pessoal tem medo de sair de casa também. Trabalho neste ponto há dez anos, e hoje talvez seja o dia mais fraco”, afirma a vendedora.

Foto: Junio Matos

Já para o vendedor de água Marcio Almeida Sampaio, que vende há cerca de cinco anos no Cemitério Parque Tarumã, na Avenida do Turismo, as vendas não estão tão ruins assim, mas já foram mais ‘rápidas’.

“Você pode ver que a aqui a movimentação é muito grande, mas não chega a ser como em outros anos, quando a gente vendia tudo muito mais rápido. Agora é aquela coisa, eu pelo menos não vejo com algo tão ruim assim, mas que dá para melhorar, isso dá. Pelo menos não chega a ser como no ano passado, quando nem vender a gente pôde, por conta dessa doença”, ressalta o ambulante.

No caso da ambulante Maria Ribeiro, que realiza suas vendas dentro do cemitério Parque Tarumã há 16 anos, a venda de produtos pode não chegar a esgotar. “Trouxe desta vez uns 80 corações [feitos com flores], e acho que vou vender apenas a metade”, afirma a vendedora.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.