Publicidade
Manaus
Manaus

Ambulantes ocupam calçadas da avenida Djalma Batista antes mesmo de obra ser concluída

Enquanto a prefeitura toca obras de reforma e requalificação das calçadas da avenida, ambulantes demarcam territórios de forma desordenada 15/10/2014 às 10:16
Show 1
Ambulantes não esperaram nem a calçada ficar pronta para cada um “demarcar território” que será ocupado para a venda de produtos de pequeno custo
jéssica vasconcelos Manaus-AM

A calçadas da avenida Djalma Batista estão sendo revitalizadas, porém a dificuldade de caminhar encontrada pelo pedestre ainda está longe de acabar devido a ocupação desordenada do espaço por ambulantes. Para quem passa pelo local, a única solução é desviar dos ambulantes ou simplesmente caminhar pela pista de rolamento.

Instalados principalmente no trecho próximo aos shoppings, os vendedores de acessórios de celular, bijuterias, DVD piratas e churrasco ocupam o espaço destinado aos pedestres que dizem ser obrigados a andar na rua principalmente no final da tarde quando o movimento é maior. Durante o dia apenas vendedores de café da manhã, água de coco e mingau ocupam as calçadas que em muitos trechos ainda não foram reformados, mas já foram ocupadas.

De acordo com o agente de segurança José Santos, 60, que há dez anos trabalha em um condomínio entre dois shoppings da Djalma Batista, a situação tem piorado a cada ano, pois antes eram poucos os vendedores que ocupavam as calçadas e agora pelo menos 15 ambulantes espalham produtos nas calçadas no horário de maior movimento da avenida.

Ainda de acordo com José, os vendedores de bijuterias expõem os produtos em panos postos no chão no meio da calçada dificultando ainda mais a vida do pedestre. “As calçadas não são tão largas pra quantidade de pessoas que passa pela avenida Djalma Batista e tudo fica pior com coisas espalhadas no chão”, disse o agente de segurança.

A vendedora Ana Alice Pinheiro, 22, que também trabalha na Djalma Batista e conhece bem o problema da ocupação das calçadas, conta que às vezes o pedestre é obrigado a passar pela rua e correr o risco de ser atropelado porque os ônibus executivos param em qualquer lugar. “Às vezes estamos andando pela rua quando o ônibus passa. As pessoas não andam na calçada porque não é possível”, disse Ana Alice.

No projeto da obra de revitalização das calçadas da avenida Djalma Batista consta a remoção de antigas calçadas para a construção dos novos modelos, agora com três metros de largura. O trabalho inclui a pigmentação de trechos do piso a ser instalado, a implantação de balizadores e sarjetas, além do rebaixamento de guias, tanto para a acessibilidade de pedestres, como para os estacionamentos regularizados.

*Confira aqui galeria de imagens

Publicidade
Publicidade