Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
IMUNIZAÇÃO

Antecipação de campanha contra a Influenza depende da produção de vacinas

Produção pelo Instituto Butantan iniciou. A vacina contra a Influenza não é imunológico de rotina, por isso não fica disponível o ano todo



vacina_2_15B25D95-FB23-47A3-BCC7-01171026A0A7.JPG Foto: Reprodução/Internet
26/02/2019 às 22:27

A antecipação da Campanha Nacional Contra a Gripe no Aamzonas depende da produção de vacinas, informou a Prefeitura de Manaus. Segundo o prefeito Artur Neto, ele solicitou em Brasília, na última segunda-feira (25), que o início da campanha ocorra em março e não em abril, como acontece anualmente.

Ainda segundo a prefeitura, o senador Plínio Valério (PSDB/AM) já realizou contato direto com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que se mostrou favorável à proposta, mas informou que a antecipação da campanha está condicionada à produção das vacinas pelo Instituto Butantan, que já trabalha na fabricação.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, explica que a vacina contra a influenza não é imunológico de rotina, por isso não fica disponível, no restante do ano, nas 183 salas de vacinação da Semsa.

“Ela é disponibilizada apenas durante a Campanha Nacional contra a Gripe, que geralmente acontece nos meses de abril e maio. A composição da vacina da Influenza é alterada anualmente de acordo com os vírus que circularam no ano anterior, considerando virulência e capacidade de disseminação. O monitoramento dos vírus circulantes é realizado pela rede mundial de Unidades Sentinelas”, destaca Magaldi.

Prioridade

A vacina é ofertada, exclusivamente, para o público prioritário, que são crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, trabalhadores da saúde, indígenas aldeados, idosos, professores da rede pública/privada e portadores de doenças crônicas.

 

Para o público restante, a orientação é observar os cuidados com a prevenção e, em caso de suspeita de contágio, procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de casa para passar por avaliação médica. Em caso de confirmação, a pessoa é encaminhada a uma das 23 unidades de referência para receber a medicação antiviral, o Tamiflu.

No ano passado, a Semsa recebeu 450 mil doses da vacina para atender a meta de vacinar 363 mil pessoas, número que se aproxima de 400 mil se considerados os casos de comorbidade, que é a existência de duas ou mais doenças simultaneamente na mesma pessoa, como obesidade, diabetes, hipertensão arterial, insuficiência cardíaca entre outras. Mesmo com todos os esforços, o município de Manaus conseguiu alcançar a meta em três grupos prioritários: idosos, puérperas, indígenas e professores, superando 90% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Os demais grupos, tais como crianças, gestantes e profissionais de saúde ficaram abaixo da meta prevista, totalizando 88,45%.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.