Publicidade
Manaus
Manaus

Antes local de depredações, escola na Compensa tem fila de candidatos para o ano que vem

Reforma de unidade de ensino reflete melhoria nos casos de violência e tráfico de drogas, além de despertar interesse de alunos 19/11/2013 às 09:40
Show 1
Escola Eldah Bitton Telles da Rocha é referência no bairro Compensa, Zona Oeste: abriga o maior colégio eleitoral da região e tem projeto para funcionar aos sábados, junto com a comunidade
Steffanie Schmidt Manaus, AM

A escola em que ninguém queria estudar, hoje já tem fila de candidatos a uma vaga para o ano que vem. Detalhe: as matrículas só começam em janeiro. Esse é o reflexo que a reforma da escola estadual Eldah Bitton Telles da Rocha, na Compensa, provocou na comunidade. E ela ainda nem foi inaugurada.

“Eu passo aqui na frente todos o dias para ver e saber quando as aulas irão retornar”, afirmou Rodnele Vasques, 16, que está terminando o Ensino Médio pelo programa Avançar 4.

As turmas que recuperam o aluno que está fora da série por conta da idade é uma das maiores demandas da escola, segundo a diretora Ione Bezerra, além das turmas de 6º ano do Ensino Fundamental. “Antes não havia 6º ano aqui na Compensa e quando chegava o momento, os alunos do bairro tinham que ir para o Centro. Agora, teremos 20 turmas desse série”, disse.

A obra iniciada em junho e que deveria ser entregue em setembro, deverá ser concluída no final do mês. O atraso, segundo a diretora, se deu por conta de um aditivo para a construção do estacionamento para os carros dos professores. “Antes, os carros ficavam na rua e os alunos depredavam os veículos”. A expectativa é que a obra recupere a auto-estima da comunidade como um todo. “Antes não havia muros, tinha gente que fumava maconha na parte de trás da escola, os traficantes vendiam droga aqui no pátio e até mesmo vítimas de sequestro vinham parar no terreno, na parte de trás que faz fronteira com a área vermelha. Hoje, essa situação acabou”, afirmou a diretora. As obras começaram com os alunos ainda em aula, por isso algumas mudanças puderam ser percebidas. O terceiro bimestre acabou em setembro. A previsão é de que aulas retornem ainda este mês para o fechamento do ano letivo previsto para 20 de janeiro. O ano de 2014 deverá iniciar-se no dia 4 de fevereiro.

“Antes tinha muita violência aqui na frente como roubos, furtos e brigas. Isso parou depois que a escola mudou”, afirmou o ambulante Alessandro Fernandes Vasconcelos, que vende balas na porta da escola e cuja filha de 14 anos estuda no local. “É muito importante pra gente aqui do bairro. Faz 20 anos que estou aqui e nunca vi uma mudança igual a essa”.

Outro aluno que aguarda com ansiedade a volta às aulas na escola Eldah Bitton é Thiago Fernandes, 18. “Mudou toda a fachada, o padrão. Dá vontade de estar dentro e estudar”.

Publicidade
Publicidade