Publicidade
Manaus
Manaus

Apenas três motoristas utilizaram o 'disque-pileque' no fim de semana de Carnaval, em Manaus

De um total de 30 chamadas que o serviço gratuito recebeu, 23 foram trotes e outras não se concretizaram. Para os organizadores da ação, que segue até a quarta-feira de cinzas, a desconfiança é o principal motivo da desistência 16/02/2015 às 16:47
Show 1
Em plantão de 14 horas, 30 motoristas revezam para atender quem solicitar o serviço gratuito pelo telefone
Lívia Anselmo Manaus (AM)

A iniciativa da Associação e Sindicato dos Condutores de Ambulância do Amazonas, que ofereceu o serviço "disque-pileque" do longo dos últimos dias, não foi alternativa para quem consumiu bebida alcoólica nesse fim de semana de Carnaval. Das 30 chamadas recebidas pelo telefone divulgado, apenas três se tornaram atendimentos reais e garantiram a segurança no trânsito.

Segundo o presidente do sindicato, Manoel Araújo Lima, outras 23 foram trote. “Infelizmente isso é reflexo da falta de educação do motorista. Nós oferecemos um serviço de graça, sabendo que o número de pessoas que consomem álcool nesse período é grande, e mesmo assim a procura é mínima”. 

Em outras duas chamadas, os motoristas desistiram de ser levados para casa com a ajuda do profissional. Apesar de ter sido dispensado, Manoel disse que o serviço vai continuar até a quarta-feira de cinzas (18). “Nós assumimos compromisso de que iríamos permanecer em plantão e estaremos”, disse.

Para ele, um dos fatores que também influenciou na decisão dos motoristas de não optar pelo serviço, foi a desconfiança. “Às vezes a pessoa até quer tentar, mas fica desconfiada e isso é normal. Nós queremos deixar claro que nosso serviço é de confiança”, explicou Manoel. 

Revezamento

O "disque-pileque" está sendo realizado com uma parceria com o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM). Em plantão de 14 horas, 30 motoristas revezam para  atender quem solicitar o serviço gratuito pelo telefone. O número para contato funciona 24 horas: (92) 3642-6708.

Manoel explicou, ainda, que o motorista não precisa estar bêbado para solicitar a ajuda para chegar em casa com segurança e garantir também a segurança de outras pessoas. “Basta ter tomado uma cerveja que isso já é crime e gera multa. As pessoas precisam ter consciência de que ingerir álcool e dirigir é perigoso e que nós podemos ajudar". 

Lei Seca 

Atualmente, o motorista flagrado dirigindo alcoolizado paga multa de R$ 1.915 e pode ter de desembolsar R 3.830, em caso de reincidência em menos de um ano. Além disso, a pessoa pode ser presa, perder a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e ser proibida de dirigir por um ano. 

Publicidade
Publicidade