Sábado, 20 de Julho de 2019
Manaus

Aplicativo guia motoristas ao avaliar impacto dos buracos nas ruas de Manaus

Um grupo de cientistas amazonenses da Fucapi criou um aplicativo para andróide que irá avaliar o impacto das ruas esburacadas da cidade



1.jpg Uma das principais reclamações dos motoristas de Manaus, as ruas esburacadas provocam transtornos e prejuízos
28/07/2013 às 10:47

Você sabe qual é a sensação de estar no meio de um terremoto? Pesquisadores afirmam que todas as pessoas que andaram pelas ruas de Manaus são como sobreviventes de terremotos avassaladores. A prova dessa teoria estará à disposição de todas as pessoas de forma gratuita por meio de um aplicativo para celular até o fim do ano.

Um grupo de cientistas amazonenses da Fucapi criou um aplicativo para andróide que irá avaliar o impacto das ruas esburacadas da cidade. Denominado de “Terremoto Manaus”, o aplicativo ajudará os motoristas a identificarem quais ruas possuem mais buracos e o efeito que isso causa nos carros.

“A nossa intenção é ajudar os motoristas a identificarem quais vias usadas por eles prejudicam menos os veículos. E, de repente, a própria prefeitura poderá usá-lo para escolher os pontos mais críticos da cidade”, disse um dos coordenadores do projeto, o pesquisador Villar Fiuza.

Com apresentação simples e didática, o aplicativo usa diversos tipos de sensores disponíveis em celulares andróides e tablets. Entre os sensores usados estão os de localização (GPS), de aceleração e o de auto-rotação, responsável por facilitar a visão da tela do aparelho em diversos ângulos.

“A gente usa a variação da gravidade captada por esses sensores para perceber os movimentos do carro. A amplitude desse balanço corresponde exatamente ao que acontece com as pessoas em terremotos. Isso quer dizer que se você deixasse um celular com este aplicativo em cima de uma mesa no meio de um terremoto, captaria os movimentos de forma semelhante aos de pessoas passando em cima de um buraco em Manaus”, afirmou Fiuza.

Na tela do celular ou tablet, um pequeno fusca demonstra os movimentos sofridos pelo carro enquanto os sensores detectam os níveis de inclinação sofrida nos buracos. Um mapa captado por meio do GPS demonstra o percurso feito pelos veículos, apontando os trechos mais críticos de cada via. Ao chegar ao destino final, o aplicativa apresenta um cálculo com os números dos picos máximos e médios conquistados no trajeto, além de fazer uma comparação com terremotos conhecidos mundialmente.

“A nossa intenção era mostrar para os motoristas, de uma forma lúdica, a comparação do impacto que eles sofreram. Ao fim de uma corrida, por exemplo, eles sabem quantos pontos na escala Richter o trajeto dele atingiu. Além disso, o aplicativo faz, automaticamente, uma comparação com histórias de terremotos conhecidos pela população, como os do Japão. Para tornar mais atrativo, apresentamos sempre datas, grau de intensidade e o quão devastador foi”, afirma o jovem Eliel Reis, também participante do projeto.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.