Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
INTERVENÇÃO FINANCEIRA

Após 3 meses, intervenção no transporte coletivo segue sem relatórios

Medida da Prefeitura de Manaus foi assinada em 22 de julho por um período de 90 dias. O prazo foi prorrogado por igual período, mas até o momento, nenhum dado sobre o que já foi feito foi apresentado à população



show_aleixo_E3A54CE1-3C06-448E-B8D4-6AE783DDEE01.jpg Foto: Arquivo/AC
02/12/2019 às 16:40

Com mais de três meses em atividade, a intervenção financeira no transporte coletivo pela Prefeitura de Manaus segue sem ter apresentado relatórios do que já foi feito. O secretário de municipal de Articulação Política, Luís Alberto Carijó havia dito, no início de novembro que os dados seriam apresentados ainda naquele mês. Consultado novamente sobre o assunto, ele disse que nesta quarta-feira (4) os resultados serão apresentados.

“O relatório está produzido, mas não é só o relatório ou só apresentar os problemas. São problemas de décadas, mas principalmente apresentar as soluções do que tem que ser feito e o que iremos fazer. Está sendo concluído até a quarta-feira e então iremos apresentar para a Câmara para ser apresentado à Comissão de Transportes da Casa”, destacou.



A medida  estabelece o controle da entrada e saída de recursos aos cofres públicos referente ao transporte foi assinada em 22 de julho por um período de 90 dias. O prazo foi prorrogado por igual período, mas até o  momento, nenhum dado sobre o que já foi feito foi apresentado à população.

Vale lembrar que no decreto oficial ficou estabelecido que os resultados da intervenção seriam apresentados mensalmente.

Relembre

Iniciada no dia 22 de julho deste ano, após publicação do decreto 4.503, a intervenção tem por objetivo garantir o bom funcionamento do transporte coletivo urbano. Conforme consta nesse decreto, a atitude do prefeito Artur Neto é baseada pelo “descumprimento das Concessionárias no adimplemento de suas obrigações tributárias, previdenciárias e trabalhistas”.

Na tentativa de coibir furtos aos ônibus coletivos e proporcionar maios segurança à população, a Prefeitura determinou no decreto 4.587 do dia 19 de setembro, que o pagamento da tarifa do ônibus – atualmente R$ 4,80 –, seja debitado por meio do Sistema de Bilhetagem Eletrônica (SBE) e ainda estabeleceu um prazo de 60 dias para as empresas de transporte público coletivo se adequar ao SBE. O prazo para as empresas se encerra no dia 18 de novembro. Decreto também questionado pelo vereador Chico Preto. 

News whatsapp image 2019 05 27 at 11.54.48 8d32dbdd 4f80 4c51 b627 e3873c2e56de
Repórter
Cientista Social, Escritora e Jornalista. Repórter de A Crítica, apaixonada pela arte de contar histórias.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.