Publicidade
Manaus
CAMPANHA

Idosos que resgatavam animais de rua pedem ajuda para recuperar a casa

Após ter casa destruída por incêndio, casal conta com solidariedade de vizinhos e da população para reconstruir suas vidas com os animais 12/01/2017 às 05:00 - Atualizado em 12/01/2017 às 08:37
Show seu valdir
As marcas do incêndio ficaram nas paredes da pequena residência, pretas por conta da fumaça, e nos móveis, destruídos (Foto: Clovis Miranda)
Isabelle Valois Manaus (AM)

Após ter a casa destruída por um incêndio, na última sexta-feira (6), em Manaus, o casal de idosos Valdir Pereira Pacheco, 56 e Maria Lúcia Andrade Nogueira, 59, conta com a solidariedade de vizinhos e da população em geral para reconstruir suas vidas e retomar o trabalho de resgate de animais abandonados que fazia. Eles, que viviam de ajudar os animais, agora pedem da população qualquer tipo de ajuda para recuperar a casa onde moram há mais de 11 anos. Mais de 80% da casa foi consumida pelo fogo e as marcas ainda são visíveis nas paredes e móveis. 

Como o casal cuidava de 23 animais - entre gatos e cachorros -, nos últimos dias eles têm recebido ajuda de voluntários, que doam medicação e ração para os animais. Mas eles também estão passando por necessidade: sem roupa, com poucos móveis e sem e abastecimento de água e luz, eles dependem da solidariedade alheia para sobreviver. 

Valdir contou que não estava em casa quando houve o incêndio. Ele, que trabalha com o conserto de aparelhos televisivos, tinha muitos aparelhos usados no terraço e boa parte deles foi danificada. Valdir explicou que no local não havia nenhuma ligação elétrica, por isso ele acredita que o incêndio possa ter sido causado por operários que estavam trabalhando no campo de treino do Nacional Futebol Clube. A casa fica ao lado do campo, localizada na esquina das ruas Nacional e Pupunã, na Vila Alfredo Nascimento, Aleixo, Zona Leste.  “Antes de sair de casa tinha observado que os operários estavam próximo ao muro de casa fumando cigarro. Acredito que eles tenham jogado a bituca e não perceberam que tinha caído para dentro do galpão onde guardo o material. O fogo deve ter se espalhado no papel que forrava o chão. Não há outra explicação, pois não tínhamos energia neste andar”, informou Valdir.

O Corpo de Bombeiros acionou a Defesa Civil do Município para realizar uma avaliação do imóvel, o que não tinha acontecido até ontem. Como a família não tem para onde ir, Valdir, com ajuda de vizinhos, religou a energia e, ontem, estava religando a água. “Estamos precisando de ajuda, perdemos tudo. Os animais estão sendo assistidos por um grupo de voluntários, que também nos ajudaram com rancho e algumas doações, porém precisamos de qualquer tipo de ajuda. Só queremos voltar à nossa vida normal”, disse.

Animais assistidos por ONGs

Eram 16 gatos e sete cachorros que também faziam parte da família de Valdir e Maria. Um gato e  três cachorros morreram no incêndio. Quatro cachorros que sobreviveram foram levados por voluntários de Organizações Não Governamentais (ONGs) para serem assistidos por médicos veterinários. O “xodó” da família, um gato chamado Bibiu, teve as patas queimadas e está internado.

Quem quiser ajudar o casal podem ir ao próprio enderenço onde ocorreu o incêndio, na esquina das ruas Nacional e Pupunã, na Vila Alfredo Nascimento, Aleixo, Zona Leste. Ou realizar um depósito bancário na poupança de Maria Lúcia Nogueira, na Caixa Econômica, agência 3205, operação 013, conta 2030-8.

Publicidade
Publicidade