Publicidade
Manaus
SOLIDARIEDADE

Após apelo de aluna, funcionários de escola se unem para reformar casa em Manaus

Pedido de adolescente de 17 anos sensibilizou colegas e professores do Colégio Adventista Cidade Nova. Ações de arrecadação fazem parte do projeto "Religião na Prática", adotado pela escola 03/03/2018 às 09:14
Show mat
Foto: Euzivaldo Queiroz
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Milhares tentam, mas poucos conseguem tornar realidade o sonho de ter uma casa digna para morar com a família. Um deles foi o monitor Marcelo de Oliveira Queiroz, 42, morador de um casebre de madeira na rua das Águas Chilenas, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus. O apelo feito pela filha Beatriz, 17, sensibilizou colegas, professores, funcionários e toda a direção do Colégio Adventista Cidade Nova.

“Falei que tinha vergonha da casa onde morava. Era só goteira, muito rato, barata, mosquito e sem um lugar em que eu pudesse estudar. Por isso arranjei coragem e abri o jogo na escola porque não suportava mais aquela situação. Agora tenho meu quarto e um lugar para estudar. Foi uma bênção de Deus”, revelou, visivelmente emocionada, a aluna do segundo ano do Ensino Médio.

Após o apelo, imediatamente entrou em ação o projeto “Religião na Prática”, adotado pela escola, que incentiva os estudantes a serem solidários e a ajudarem ao próximo. E, depois de várias campanhas, vendas de carnês e promoções, foi arrecadado o valor suficiente (não revelado) para a construção de uma casa de alvenaria, com sala, cozinha, banheiro, dois quartos e uma suíte. Ontem, quatro meses depois de iniciada a campanha, a família recebeu a chave do novo lar.

“Na casa antiga, que era de madeira a gente sofria muito, principalmente no período de chuva porque era bem precária. Desempregado, eu ganhava o sustento entregando água nas casas aqui do bairro. Mas, Deus colocou pessoas bondosas na nossa vida e hoje estou muito feliz”, desabafou Marcelo Oliveira, que já mora no local há 17 anos, desde o tempo que a área era uma invasão.

A senhora Valdeci Queiroz era quem mais sofria. “Na outra casa não tinha condições da gente continuar vivendo. Eu vivia reclamando pra ele (o marido), mas não tínhamos dinheiro. Foi quando me ajoelhei e pedi que Deus tirasse a gente daquela situação. Pulei de alegria quando minha filha chegou e me deu a notícia”, disse a dona da nova casa.

Um presente também para o adolescente Miquéias, 14. “Agora tenho meu quarto, coisa que nunca tive, e esta nova casa é um presente de Deus para todos nós, principalmente na questão da segurança”, destacou Miquéias.

A professora Deise Printes, diretora departamental de Educação, responsável pelas Escolas Adventistas de Manaus disse que o projeto vai continuar e que a casa da família Queiroz não foi a primeira. “No ano passado foi construída a primeira, que fica na Zona Leste, fruto da campanha dos alunos da Escola Adventista Paul Bernard, que fica naquela zona. Nesse projeto os alunos colocam em prática tudo que aprendem na teoria, com ações voltadas para a solidariedade”, revelou a diretora.

A entrega da casa à família Queiroz foi feita pela direção do Colégio Adventista da Cidade Nova, Zona Norte, e também contou com a presença de vários alunos que participaram diretamente da campanha de arrecadação de fundos para a construção do imóvel. Foram utilizados carnês para contribuições mensais e vários eventos internos e externos com o mesmo fim.

Preceitos bíblicos na prática

Segundo a diretora Sebastiana Melo, o objetivo do projeto “Religião na Prática” é fazer com que as crianças coloquem em ação os ensinamentos bíblicos e, consequentemente, sejam melhores cidadãos.

“Quando incentivamos ações como estas, estamos formando cidadãos que olharão de um jeito diferente para as necessidades da sociedade”, defende Sebastiana. “Aqui não formamos apenas futuros profissionais, mas pessoas para viverem em comunidade”, completa a diretora.

O recurso da casa nova foi adquirido por meio de doações de funcionários e alunos da escola. De acordo com organizadora da ação, Euciany Saraiva, a Educação Adventista está engajada no projeto Dez Dias de Oração e Ações de Compaixão.

“Durante dez dias, alunos oraram e se envolveram com a construção desta casa, com intuito de fazer bem a outras pessoas. A família beneficiada é de uma estudante que apresentou aos colegas e professores a dificuldade financeira dos pais”, destaca a organizadora.

Publicidade
Publicidade