Publicidade
Manaus
AUMENTO

Sinteam reivindica reajuste salarial de 15% para professores municipais de Manaus

A categoria também quer reajuste do vale-transporte e vale-alimentação, transparência no uso dos recursos do Fundeb, entre outros 10/05/2018 às 15:29 - Atualizado em 10/05/2018 às 15:51
Show fundeb
Foto: Arquivo/AC
acritica.com Manaus (AM)

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) divulgou nesta quinta-feira (10) que vai reivindicar junto à Prefeitura de Manaus um reajuste salarial de 15% para os professores que atuam na rede municipal de ensino da capital.

O valor, segundo o Sinteam, foi definido ontem (9) durante Assembleia Geral do sindicato. Além do aumento salarial, a categoria decidiu reivindicar reajuste do vale-transporte e vale-alimentação, transparência no uso dos recursos do Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb), incorporação da regência de classe ao vencimento, progressões horizontais e verticais, reajuste da FEM da educação especial, HTP para professores do 1º ao 5º ano, entre outros.

"Nossa pauta não se restringe ao reajuste salarial. Tem vários pontos no tocante às condições de trabalho, por exemplo, os prédios alugados, a da merenda escolar, a precarização dos terceirizados, o sucateamento da ManausMed, a segurança nas escolas, entre outros”, afirmou o presidente do Sinteam, Marcus Libório.

A categoria pretende entregar a pauta de reivindicações tanto à Secretaria Municipal de Educação (Semed) quanto à  prefeitura e realizar atos públicos pela cidade. A data ainda não foi definida.

Em nota, a Semed informou que recebeu a proposta e está analisando os pleitos solicitados. "A Semed destaca que sempre esteve aberta a negociações junto ao Sinteam e toda a categoria, levando em consideração as limitações financeira da administração pública e dessa vez não será difetente", disse a secretaria. 

Greve estadual e acerto com o Governo

No mês passado, o Sinteam, em parceria com a Associação dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical), também fez reivindicações de reajuste salarial e outros benefícios para professores, só que da rede estadual de ensino.

Após longa greve da classe, o Governo do Estado e representantes sindicalistas chegaram ao acordo de reajuste de 24,91%, aprovado em tumultuada sessão na Assembleia Legislativa do Estado. Também foram assegurados benefícios como plano de saúde e vale-alimentação.

Publicidade
Publicidade