Publicidade
Manaus
Zona Norte

Após casas ficarem alagadas, moradores da comunidade Rio Piorini fazem protesto

Os manifestantes denunciam a péssima infraestrutura e a falta de saneamento básico da área 12/04/2016 às 12:20 - Atualizado em 12/04/2016 às 13:00
Show piorini
Moradores da comunidade Rio Piorini fazem protesto em frente ao shopping Manaus ViaNorte (fotos: Divulgação)
Rafael Seixas e Silane Souza Manaus (AM)

Cerca de 50 moradores da comunidade Rio Piorini protestaram contra a péssima infraestrutura e a falta de saneamento básico presente na localidade, nesta terça-feira (12), na avenida Arquiteto José Henrique Bento Rodrigues, em frente ao shopping Manaus ViaNorte. Localizada no bairro Santa Etelvina, na Zona Norte, a comunidade sofre com constantes alagamentos por conta das fortes chuvas.

Pelo menos oito ruas às margens do igarapé do Passarinho, que corta a comunidade, foram invadidas pelas águas do igarapé que transbordou com a chuva.


Comunidade Rio Piorini

Segundo o professor Rosenildo de Souza Trindade, 28, desde 2008 as famílias denunciam aos órgãos competentes a situação, mas até agora não obtiveram nenhum retorno.

“Toda vez que chove as nossas casas ficam alagadas. A comunidade existe desde 2001, quando nos retiraram do alagado da Cachoeirinha, mas nos jogaram aqui sem nenhuma infraestrutura. Qualquer água faz transbordar o igarapé, fazendo a água chega à avenida e nas casas”, declarou Trindade.

“Há moradores que já abandonaram suas residências, porque as casas ficam alagadas por semanas. Não temos nem fossa, tudo vai parar no igarapé e, com a chuva, tudo retorna nas privadas. Toda vez procuramos as secretarias, como Semmas [Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade] e a Seminf [Secretaria Municipal de Infraestrutura], mas não temos resposta. A Seminf é recordista de enviarmos documentos”, acrescentou.


As ruas da comunidade sempre alagam quando chove

Os moradores pretendem fechar a avenida novamente às 14h para cobrar da Prefeitura de Manaus uma solução para a área, que registra alagação toda vez que chove. Mais cedo, após a chegada da imprensa, da Polícia Militar e com a informação de que o secretário da Defesa Civil iria até a comunidade a via foi liberada.

Publicidade
Publicidade