Publicidade
Manaus
DESCOBERTAS

Após conclusão do prazo, paradas de ônibus continuam descobertas, em Manaus

Na avenida Rio Negro, no Conjunto Atílio Andreazza, no bairro Japiim, Zona Sul de Manaus, além de estar descoberto, um dos pontos de ônibus está com o banco quebrado 05/04/2016 às 12:24 - Atualizado em 05/04/2016 às 14:44
Show 1066601
Usuário do transporte sofrem para se proteger da alta temperatura (Foto: Márcio Silva)
Luana Carvalho Manaus (AM)

O atraso na reforma dos pontos de ônibus, anunciados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) em outubro do ano passado, têm incomodado os usuários de transporte coletivo. Quando anunciou os reparos em 500 abrigos, a Seminf estipulou um prazo de 120 dias para a conclusão das reformas. No entanto, passou-se um mês desde o prazo final e apenas 115 ‘paradas’, segundo a pasta, foram concluídas.

Na avenida Rio Negro, no Conjunto Atílio Andreazza, no bairro Japiim, Zona Sul de Manaus, além de estar descoberto, um dos pontos de ônibus está com o banco quebrado. O abrigo foi pintado recentemente, porém os usuários continuam à mercê do sol e da chuva.

A reclamação é a mesma para quem precisa esperar pelo ônibus na rua Borba, no bairro Cachoeirinha, também na Zona Sul. Ontem, a equipe de reportagem registrou um dos pontos de ônibus sendo pintados e com as novas telhas no chão. Porém este abrigo, e mais outros dois, continuam descobertos.

A estudante Stephanie Campos, 17, conta que, pior que passar calor debaixo do forte sol de meio-dia, são os dias de chuva. “É um absurdo, pois a gente sai da aula e tem que esperar o ônibus um tempão. Hoje (ontem) está muito quente, é terrível. Mas tem dias que chove e ficamos molhados. Mas é o jeito ficar aqui, não temos para onde correr e precisamos esperar o ônibus”, comenta.

Prazo

Em outubro do ano passado, A CRÍTICA noticiou que a Seminf havia começado as reformas das paradas de ônibus com telhas de barro. Segundo a pasta, quatro empresas estavam intensificando os serviços para que fossem concluídos no menor tempo possível. O prazo dado pela pasta foi de 120 dias, que, teoricamente, se esgotaria em fevereiro.

Ontem, a secretaria informou que dos quatro lotes de reforma executados, o lote 2 que contempla os abrigos localizados nos bairros Cachoeirinha, Japiim, Distrito Industrial, Aleixo, Praça 14, Petrópolis, Colônia Antônio Aleixo, Colônia Oliveira Machado, Raiz, Betânia, Morro da Liberdade, São Francisco, Jardim Mauá e Jardim Petrópolis, está em andamento. Deste lote, que contempla 125 abrigos, já foram entregues 52 unidades devidamente reformadas.

Os serviços nos abrigos da Rua Borba iniciaram há 15 dias e já consta na programação dessa semana os serviços para instalação de telhas de barro e os demais trabalhos de finalização da obra. A pasta informou que as obras receberam parada técnica e aditivo de prazo e estão em andamento, regularmente.

Publicidade
Publicidade