Publicidade
Manaus
PROTESTO

Após deflagrarem greve, professores anunciam carreata para esta sexta (23)

Atividade foi divulgada nesta quinta-feira (22) no protesto em frente à sede do Governo do Estado. Seduc informou que interrupção de ano letivo deverá ser reposta durante as férias 22/03/2018 às 21:37 - Atualizado em 23/03/2018 às 08:58
Show professores
Foto: Winnetou Almeida
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Professores da rede pública do Amazonas devem realizar uma carreata nesta sexta-feira (23) pelas ruas de Manaus. A atividade foi divulgada nesta quinta-feira (22) no protesto em frente à sede do Governo do Estado, na Zona Oeste de Manaus. 

"Amanhã vamos fazer uma grande carreata, a partir das 7h. O ponto de concentração será na Arena da Amazônia. Depois iremos para o Centro, e vamos parar novamente aqui na sede do governo", explicou Lambert Melo, diretor financeiro do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom-Sindical).

O sindicato estima que 70% dos profissionais do Estado já aderiram à paralisação. "Estamos mantendo o 30%, conforme a lei manda. Mas até agora o governo não entrou em contato conosco. A greve continua por tempo indeterminado", completou.

Seduc lamenta

A Secretaria de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc) se pronunciou na noite de hoje sobre a greve dos servidores, e adiantou que, por conta da greve, o calendário será reposto no período de férias escolares.

“O Governo do Amazonas respeita o direito de greve dos servidores e permanece à disposição para negociar, como tem feito ao longo do mês da data base que resolveu cumprir, submisso ao primado da lei. A Secretaria de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) lamenta que alunos fiquem sem aula e que o ano letivo, interrompido, deva ser reposto em período em que os estudantes e os professores costumam estar em férias escolares”, informou.

Greve geral

Uma assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam) acompanhou o movimento das ruas e decidiu pela oficialização da greve dos servidores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Na manhã de hoje, milhares de professores participaram de um ato dando início à greve, antes mesmo do evento do Sinteam.

Desde a semana passada, os professores da rede estadual de ensino do Amazonas fazem paralisações e atos de protesto em escolas de Manaus e do interior do Estado. Eles exigem reajuste salarial de 30% e mais 5% real de salário, totalizando um índice de 35%. Além disso, a categoria busca manutenção do plano de saúde, que foi cortado para parte deles, e vale alimentação.

No início da semana, o Governo do Amazonas propôs pagar a data base da categoria de 2017 no percentual de 4,57%, o que foi rechaçado pelos professores. Também foi oferecido aumento em R$ 200 do vale-alimentação dos docentes em sala de aula, totalizando R$ 420; promoções verticais de 3.516 professores que concluíram títulos de graduação; extinção da taxa de 6% do vale-transporte; e auxílio localidade de R$ 30 para R$ 200, e até R$ 1 mil dependendo da distância em casos de professores que trabalham em interiores.

Publicidade
Publicidade