Terça-feira, 04 de Agosto de 2020
SUCESSO DE ARRECADAÇÃO

Após divulgação, vakinha feita por mãe para salvar primeiro filho supera metas

Em menos de uma semana de criação, a vakinha arrecadou R$ 98,6 mil, quase dobrando a meta inicial de R$ 50 mil. O valor irá custear a cirurgia de emergência que poderá salvar a vida de João Emanoel, que está com má formação rara ainda no útero da mamãe Brenda Rezende



show_dc0675a7-57ff-4b89-a9e7-0e0f56d4bb74_63453F35-FAB6-431E-B1AF-984F3615350A.jpg Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal
16/07/2020 às 10:35

Em menos de uma semana, os pais do pequeno João Emanuel conseguiram, por meio de doações em uma “vakinha virtual”, a quantia de R$50 mil para realizar cirurgia de emergência que pode salvar a vida dele, que foi diagnosticado com válvula de uretra posterior (conhecida pela sigla VUP) – uma má formação que não permite ao bebê urinar dentro da barriga da mãe, inchando os rins e prejudicando o desenvolvimento dos pulmões

A quantia necessária para realizar a cirurgia, chamada de “derivação vésico-amniótica”, foi alcançada na última terça-feira (14), segundo informou a enfermeira Brenda Rezende. No total, foram arrecadados, em cinco dias, mais de R$ 98 de mil reais – quando a campanha foi noticiada em A CRÍTICA no último dia 10 o valor estava em R$ 8 mil.



“As doações foram além do valor da cirurgia. Já compramos as passagens para São Paulo. Eu e o meu marido [o assistente contábil Renan Medeiros] viajamos neste domingo (19). Talvez, por conta da minha gravidez de risco, o bebê nasça por lá mesmo, e o dinheiro que sobrar será usado para o acompanhamento do João Emanuel após o nascimento, pois não sabemos como será o pós-cirúrgico”, informou.

O procedimento será feito no Hospital e Maternidade Santa Joana, localizado na área central da capital paulista, e deve acontecer até a 30º semana de gestação (ela já está na 28º). A cirurgia reduzirá a dilatação do trato urinário do bebê, preservando a função renal dele e restabelecendo o volume do líquido amniótico - essencial para o desenvolvimento pulmonar.

Brenda descobriu a doença do João Emanuel com 16 semanas de gestação, por meio de um ultrassom. “Na ocasião, foi descoberto que o feto estava com uma megabexiga [VUP]. Por conta da pandemia, só consegui marcar consulta com um especialista quando eu estava com 18 semanas. Ele detectou que eu estava sem líquido amniótico e, por isso, não poderia fazer o procedimento necessário naquele momento”, lembra Brenda Rezende.

Desacreditada por dois médicos, Brenda entrou em um grupo de Whatsapp criado por mães que viveram e vivem o mesmo pesadelo, e lá lhe indicaram um médico especialista em medicina fetal de São Paulo que poderia realizar a cirurgia. Em contato com o profissional, ela foi informada que os custos envolvendo a equipe médica e a internação totalizariam R$50 mil.

“Meus familiares deram a ideia da vaquinha virtual para tentarmos arrecadar esse valor. Foi uma luta contra o tempo porque eu tinha de fazer essa cirurgia em duas semanas. Agora, o líquido amniótico que está acumulado na bexiga do meu filho poderá ser eliminado e, com esse líquido, formar o pulmão e ele nascer com vida”, contou a enfermeira.

De acordo com Brenda, desde o início da semana passada, familiares, amigos e até mesmo desconhecidos criaram uma rede de solidariedade nas redes sociais a fim de ajudar a arrecadar a quantia necessária em tempo hábil para custear a cirurgia e as passagens aéreas.

“Nossa família gostaria muito de agradecer a todos que contribuíram para finalizarmos essa campanha com êxito. Que linda demonstração de generosidade e parceria vocês nos deram. Seremos eternamente gratos. Foi lindo demais vivenciar o cuidado de Deus com a gente através da demonstração de carinho de vocês, porém, vencemos apenas o primeiro obstáculo, que era arrecadar o dinheiro, agora vamos à luta, e daqui pra frente a sua oração será imprescindível para a recuperação do João Emanuel”, disse, emocionada.

Sobre a VUP

A VUP ocorre durante o desenvolvimento de bebês do sexo masculino como uma membrana na uretra que impede a passagem da urina, fazendo com que a bexiga e os rins inchem como balões e parem de funcionar. Caso não haja intervenção imediata, o feto pode morrer ainda no útero ou, se chegar a nascer, morrer logo após o parto por incapacidade de usar os pulmões.

News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno Cidades do jornal A Crítica. Jornalista por formação acadêmica. Já foi revisor de texto de A Crítica por quatro anos e atuou como repórter em diversas assessorias de imprensa e publicações independentes. Também é licenciado em Letras (Língua e Literatura Portuguesa) pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.