Domingo, 22 de Setembro de 2019
HEMOAM

Após dois anos parada, obra do Hospital do Sangue deve ser retomada em Manaus

Contrato para conclusão da construção da unidade será assinado, afirma o diretor-presidente da FHemoam, Nelson Fraiji. Serão investidos R$ 39 milhões para a continuação da obra



WhatsApp_Image_2018-11-08_at_20.41.31_8A9CCD28-2810-4E48-B416-4E15AFEFFE6D.jpeg Apenas as bases do prédio onde funcionará o hospital foram levantadas. (Foto: Márcio Silva)
08/11/2018 às 19:59

Há mais de dois anos com as obras paralisadas, a construção do Hospital do Sangue deve ser retomada após a assinatura do contrato com a nova empresa licitada, que deve acontecer nos próximos dias. A informação é do diretor-presidente da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), Nelson Fraiji.

Segundo ele, a vencedora da licitação foi a empresa Mercure, especializada em obras de engenharia, e a estimativa é de que a unidade hospitalar esteja pronta dentro do prazo de um ano e meio. “Foi licitada a construção do que falta. Já está concluída toda a super estrutura, que corresponde a 30% do total das obras”, afirmou Nelson Fraiji, ontem, à equipe de reportagem do jornal A CRÍTICA. “Também já estamos há um ano estamos comprando os equipamentos e mobiliários do local”, completou o diretor-presidente da fundação. 

Para a continuação da obra, serão investidos R$ 39 milhões, aprovados junto a Caixa Econômica Federal. Orçada inicialmente em R$ 58 milhões, verba financiada através do Fundo Nacional de Saúde e do Governo do Estado do Amazonas, a obra começou em 2014 e tinha previsão de um ano para conclusão. 

Mas, em virtude da crise econômica, a empresa então responsável pela construção desistiu da obra e a abandonou em setembro de 2016. Em dezembro do ano passado, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) anunciou que liberaria R$ 11 milhões, no orçamento deste ano, de contrapartida para a conclusão da obra. 

O hospital e a demanda 

Hoje, a FHemoam realiza, em média, 2,5 mil atendimentos por mês e é referência no tratamento de doenças do sangue no Brasil há 33 anos. No entanto, não garante internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), cirurgias, e realizações de exames complexos, que atualmente são demandados para a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Com o hospital, a perspectiva é de que os atendimentos dobrem e os serviços hemoterápicos passem a ser realizados na própria unidade de saúde. 

O problema da superlotação, da falta de UTIs, equipamentos ideais para a realização de exames, entre outros serviços, também seriam resolvidos com a conclusão da obra do hospital.

Com capacidade para comportar 150 leitos, farmácia 24 horas, UTIs adulto e infantil, centro cirúrgico e unidade de transplante de medula, a área de 15 mil metros quadrados do Hospital do Sangue (localizado no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste) vai ser integrada ao complexo da FHemoam, que funcionará como setor administrativo, coleta e distribuição de sangue, laboratórios de análises clínicas, além de abrigar departamento de ensino e pesquisa.

Doadores convocados

Com o estoque de bolsas de sangue em estado crítico, a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam) convoca os doadores e novos voluntários de todos os tipos sanguíneos a comparecerem ao hemocentro para estabilizar a quantidade de bolsas disponíveis.

Após o feriado de Dia dos Finados somado ao ponto facultativo dos órgãos públicos, a falta de doadores contribuiu para a redução do estoque, que atingiu nível abaixo da média. O estoque do Hemoam está com 300 bolsas de sangue - somando todos os tipos sanguíneos -, sendo que a quantidade ideal de segurança é acima de 800 bolsas.

Responsável pela distribuição de sangue de todo Estado do Amazonas, o Hemoam fornece inclusive para cirurgias de emergência e eletivas, tanto na rede de saúde pública quanto privada.

Para fazer esse ato de amor ao próximo, os interessados podem comparecer aos pontos de coleta situados na própria sede da FHemoam, localizada na avenida Constantino Nery, no bairro Chapada, Zona Centro-Sul de Manaus, de segunda a sábado, das 7h às 18h; e também na Maternidade Ana Braga, no bairro São José, na Zona Leste da cidade, no horário de 8h às 13h, de segunda a sexta-feira.

Estão inaptas por 30 dias pessoas que se vacinaram contra o sarampo ou que estiveram em áreas de doenças endêmicas.

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 60 anos (menores de idade devem estar acompanhados dos responsáveis), não estar em jejum e evitar alimentos gordurosos antes da doação.

Também é preciso pesar no mínimo 50 quilos, estar descansado e ter repousado ao menos seis horas na noite anterior, além de apresentar documento original com foto. Quem pretende doar não deve ingerir bebida alcoólica no dia anterior e é preciso evitar fumar pelo menos duas horas antes da doação.

Quem fez tatuagem só pode doar sangue 365 dias depois. O mesmo tempo é para quem se submeteu a alguma cirurgia.

Quem fez viagens a estados distantes ou a outros países só pode doar 30 dias após o retorno. Também não poderá doar quem estiver com hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.