Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Manaus

Após Manauara Shopping ser interditado, funcionários continuam atividades

Mesmo assim, uma parte dos funcionários do centro comercial continua exercendo suas atividades normalmente



1.jpg Praça de alimentação do Manauara Shopping vista de cima: água tomou conta do espaço
01/10/2013 às 19:47

As instalações do Manauara Shopping, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus, continuam interditadas após terem sido danificadas pela forte chuva que caiu na cidade no final da manhã dessa segunda-feira (30). Mesmo assim, uma parte dos funcionários do centro comercial continua exercendo suas atividades normalmente.

O local teve as entradas bloqueadas por cones e seguranças controlam a saída e entrada de veículos de lojistas, no estacionamento. Na manhã desta terça-feira (1), representantes do shopping estiveram reunidos com profissionais do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) para definir as medidas necessárias para a sua reabertura.

Em nota, a direção do Manauara afirmou que está acatando a decisão da Prefeitura e já trabalha na execução das novas providências solicitadas pelo Executivo na reunião desta terça.

O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, esteve no shopping na segunda-feira e constatou diversas infiltrações e novos riscos de desabamento do teto de gesso. O presidente do Implurb acompanhou a fiscalização. O Amazonas Shopping também recebeu notificação, pois uma parte do gesso do teto desabou durante o temporal registrado no dia 30.

Para voltar a abrir as portas, o Manauara terá que apresentar um laudo pericial. Este laudo vai apresentar as medidas de segurança que o shopping deverá adotar, segundo análise do perito, e quais soluções serão tomadas para que a obra realizada no telhado do empreendimento possa ocorrer em consonância com a operação do shopping, sem provocar insegurança para os clientes e funcionários.

Só após a entrega do laudo e a análise pelo Implurb, é que o Manauara poderá abrir as portas, sendo desinterditado. “O problema é a convivência da obra no telhado com o funcionamento do shopping e todos os clientes embaixo. A preocupação maior é com a segurança. Sucessivos eventos de desprendimento de forro e alagação mostraram não existir uma boa relação entre a gerência de obra e a segurança para o funcionamento do empreendimento”, disse Roberto Moita.

Reunião

Durante a reunião no Implurb nesta manhã, os superintendentes apresentaram uma série de medidas que já estavam em andamento, mas que foram consideradas insuficientes e não convincentes para a solução pretendida para o caso, de ter um estabelecimento que ofereça condições seguras de uso.

Em razão disso, colocou-se a necessidade do laudo, que dará substância técnica, com informações sobre as condições da obra, do prédio e todas as medidas que serão propostas, assim como a gerência das mesmas no dia a dia, acompanhadas pelo responsável técnico.

“O shopping continua interditado e a Prefeitura tem tomado posições para garantir a integridade da população. A superintendência ficou de apresentar o laudo amanhã (nesta terça, dia 2), que será analisado conforme a consistência da perícia e vistoria. A segurança é a nossa maior preocupação”, falou o presidente do Implurb, lembrando que a interdição não foi assodada, mas fruto de uma sequência de fatos ao longo do ano, que demonstraram que a cada situação crítica o shopping apresentava-se inseguro. Os problemas encontrados na segunda são os mesmos que se repetem nos últimos seis meses, em maior ou menor grau.

O Implurb já fez pelo menos outras três fiscalizações no empreendimento, inclusive uma notificação quanto ao vazamento de telhado e desprendimento de forro. “Pedimos que eles tomassem medidas para que o problema não voltasse a acontecer e com a última chuva não vimos medidas de contingência”, falou Moita.

Veja vídeo da situação no Manauara Shopping


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.