Publicidade
Manaus
TRANSPORTE

Após reajuste do transporte coletivo, usuários migram para executivos

Aumento da tarifa de ônibus deixou menor a diferença do transporte convencional para o sistema executivo e muitos optam pelos micro-ônibus 04/03/2017 às 12:55 - Atualizado em 04/03/2017 às 12:58
Show 1200967
(Foto: Márcio Silva)
Alik Menezes Manaus

Após o aumento da tarifa do transporte coletivo convencional, usuários que pagam tarifa integral em dinheiro começaram a dar preferência aos micro-ônibus executivos para poupar tempo, uma vez que a diferença de preço caiu bastante - apenas R$ 0,40 - e os executivos passam com mais frequência nas paradas das zonas da cidade que atende.

Se a população perde, empresários e motoristas do sistema de transporte executivo lucram mais e comemoram o aumento da passagem e do número de passageiros dos microônibus, que cresceu desde o dia 24 de fevereiro, quando a tarifa do ônibus convencional passou de R$ 3 para R$ 3,80. E, segundo o vice-presidente da Cooperativa dos Condutores do Transporte de Passageiros de Manaus, Equias Sobrinho, a expectativa é que o número de usuários aumente ainda mais.

Como no transporte executivo a passagem permaneceu R$ 4,20, a diferença passou a ser de apenas 40 centavos e, às vezes, chega a 20 centavos, quando o motorista não tem troco. Situação rara nos ônibus convencionais, onde o usuário costuma sair perdendo. “Muitas vezes acontece da passagem sair por R$ 4,00 porque o usuário vem com nota alta ou até com R$ 5,00 e a gente não tem moeda, não tem troco. Mas para ninguém sair perdendo a gente leva assim mesmo”, explicou o motorista André Marinho Milome, 33, que trabalha no sistema há mais de quatro anos.

Segundo o motorista, logo no primeiro dia que o segundo reajuste entrou em vigor, ele percebeu o aumento no número de passageiros. Antes do reajuste, a média diária de cada microônibus que faz rota do Conjunto Augusto Montenegro para o Centro era de 150 passageiros, apontou ele. “Hoje a gente está fazendo até 180 passagens e espero que aumente ainda mais”, disse Milome, que ganha por comissão.

Outro que também ficou feliz com o aumento da tarifa é o motorista Anderson Pinheiro, 32. Segundo ele, muitas pessoas estão preferindo utilizar os microônibus, tanto que o número de pagantes saltou de 180 para 250 por dia. “Com certeza semana que vem vai ficar ainda melhor. Nós temos uma meta para bater: se eu chegar com 200 passagens ganho R$ 100, se faço 250 passagens ganho mais R$ 50. Espero que a tarifa continue a mesma nos ônibus, assim a gente ganha mais aqui”, disse.

Diferença mínima permite chegar mais cedo em casa

Apesar de muitos usuários classificarem como absurdo o reajuste no valor da tarifa, eles se esforçam para encontrar algo “positivo” na mudança desde o dia 24 de fevereiro. “Já usava (executivos) antes e agora, como a diferença é mínima, prefiro pegar o executivo e ter um pouco mais de conforto”, disse a estudante Juliana Lira, 17.

Para voltar para casa, Juliana prefere desembolsar R$ 4,20 ao invés de pagar R$ 3.80 no transporte coletivo convencional. “Não faz mais sentido ficar esperando ônibus, pego o executivo que demora menos e raramente passa lotado”, contou.

Apesar de muitos microônibus estarem tão sucateados quanto alguns ônibus da frota convencional das empresas do sistema, a população diz que agora pode optar pelo mais prático ou rápido. “Antes não usava tanto o executivo, pois a diferença comprometia o orçamento, mas agora que está esse absurdo, a gente pega qualquer um, o que passar primeiro”, disse o analista de estoque Everson Ruiz, que ressaltou, ainda, que no executivo nunca há problemas com o troco.

O usuário também ressaltou que, além de aumentar o valor da tarifa, empresários e a prefeitura deveriam investir para renovar a frota dos coletivos e melhorar a qualidade do serviço.

Mistério sobre novo aumento

Sobre a possibilidade de aumento também na tarifa do executivo, a Prefeitura de Manaus não informou se haverá alteração, mas ressaltou que “a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) tem trabalhado para concluir a licitação dos serviços de transporte alternativo e executivo para ser possível ocorrer o ordenamento dos dois modais da cidade”.

Quantos às fiscalizações para coibir o transporte de veículos irregulares, a prefeitura informou que as ações serão intensificadas a partir deste mês. “Serão realizadas blitze nas ruas para verificar as condições dos veículos e os documentos de porte obrigatório”.

Em relação à redução dos postos de trabalho de cobradores, que é o medo de muitos funcionários do sistema, a prefeitura informou que haverá discussões com todos os envolvidos, como sindicatos dos trabalhadores e das empresas, além dos ministérios Públicos e do Trabalho.

Cerca de 260 executivos operam diariamente na cidade, segundo levantamento realizado pela SMTU.

Publicidade
Publicidade