Publicidade
Manaus
POLÍTICA

Após recessos, ritmo na ALE-AM e na Câmara de Manaus é de 'campanha eleitoral'

Recomposição salarial e concessão de benefícios a servidores estão entre as pautas discutidas na ALE-AM. Na Câmara Municipal de Manaus, onze dos 41 vereadores estão de olho nas vagas de deputado estadual 19/02/2018 às 15:45
Show aleam
Foto: Arquivo/AC
acritica.com Manaus (AM)

Após o recesso de final de ano e o feriado prolongado de Carnaval, a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM) e a Câmara Municipal de Manaus (CMM) retomam suas atividades em ritmo de campanha eleitoral. 

Nas redes sociais, desde a semana passada, o líder do governo na ALE-AM, deputado estadual Dermilson Chagas (PEN), convoca os servidores e professores Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para a sessão plenária desta terça-feira (20) a fim de acompanharem a votação da mensagem governamental que prevê o aumento no auxílio-alimentação dos servidores da universidade.

De acordo com a assessoria do presidente da ALE-AM, David Almeida (PSD), ele ainda está aguardando os projetos que foram distribuídos aos relatores e na terça-feira (20) a pauta estará disponível.

E mais

Na segunda-feira (26), a partir das 9h, uma audiência pública proposta pelo deputado estadual Luiz Castro (Rede) discute na ALE-AM a recomposição salarial dos servidores estaduais da saúde, o retorno do auxílio alimentação e o reajuste do vale transporte.

“Vamos discutir o problema e propor alternativas a serem implementadas de forma urgente, para solucionar essas questões, que vem prejudicando  as diversas categorias de servidores da Saúde do Estado”, disse.

A Câmara também retorna às sessões plenárias após o feriado prolongado com pelo menos onze de seus 41 vereadores de olho numa das 24 vagas da ALE-AM. Outros seis vereadores ensaiam disputar a cadeira de deputado federal. E um vereador tenta viabilizar uma candidatura ao Senado.

Recesso branco

Pré-candidato a deputado estadual, o presidente da Câmara Municipal de Manaus, Wilker Barreto (PHS) afirmou, neste mês, que a rotina da casa não será prejudicada pela campanha eleitoral deste ano.  “Não há o menor perigo de haver recesso branco”, disse.

Publicidade
Publicidade