Publicidade
Manaus
MUDANÇA

Após reportagem, Polícia Civil desativa ‘cemitério’ de carros e motos na Zona Sul

Local improvisado para abrigar veículos apreendidos e viaturas velhas no bairro Petrópolis está sendo desocupado. Reportagem do Portal A Crítica publicada no dia 19 denunciou riscos do 'cemitério' à população 27/03/2018 às 06:46
Show carro
Foto: Euzivaldo Queiroz
Nelson Brilhante Manaus (AM)

O local usado pela Polícia Civil (PC) para acomodar veículos comuns apreendidos e viaturas desativadas da própria instituição, no bairro Petrópolis, Zona Sul de Manaus, já está desativado e sendo desocupado. No último dia 19, o Portal A Crítica denunciou os riscos que o “cemitério” de carros oferecia aos moradores dos arredores, principalmente das ruas Tomás Amaral e Coronel Conrado. A maioria da frota formada por carcaças (por terem grande parte das peças furtadas) tornou-se num grande e perigoso foco de mosquitos transmissores de doenças.
 
O gerente do depósito, um policial civil que prefere ser identificado apenas como Zequinha, revelou que, logo após a denúncia, a Delegacia-Geral da Polícia Civil acelerou o processo de desocupação do espaço. Os veículos, carcaças e peças estão sendo transportados para uma área adquirida na quarta etapa do bairro João Paulo, Zona Leste de Manaus. Segundo ele, cerca de 30% já foi retirado, com o apoio logístico do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM).
 
“Estamos retirando peças de uns, como por exemplo pneus, para colocar em outros a fim de facilitar a subida nas plataformas. Carros e motos que ainda estão em bom estado de conservação deverão levados e depois poderão ser leiloados”, adiantou. Ele se refere a veículos apreendidos que estavam sendo usados no tráfico de drogas e assaltos e que terão o destino determinado pela Justiça.

“A previsão é de que, em quarenta dias, todos os veículos sejam transferidos para outro local, cedido pelo Detran-AM”, garantiu o delegado-geral da PC, Mariolino Brito, no último dia 9.
 
Apesar do local ainda apresentar perigo, já significa alívio para o morador Ismael Silva da Costa, 25, que era obrigado a fechar todo seu apartamento por volta de 18h devido o grande número de mosquitos. “Ainda não está resolvido, mas melhorou bastante. Já está dando para ficar até mais tarde com a janela aberta”, revelou Ismael.


Risco: carros que estavam empilhados do lado de fora do depósito já foram retirados. Foto: Jair Araújo, em 28/02/12

Além de ser um foco de mosquitos, o espaço era um atrativo para usuários de drogas e bandidos. “Já dei três flagrantes em pessoas roubando peças. À noite, eles pulam o muro para usar droga ou depredar carros. É difícil controlar, por isso o depósito está saindo daqui”, disse o gerente Zequinha.

O local também concentra um grande número de pombos, ave reconhecidamente transmissora de doenças.
 
Considerando que o prazo estipulado foi de 40 dias para desativar o pátio, o comando da Polícia Civil teria até o dia 19 de abril para cumprir o prometido. A nova destinação do local, usado há cinco anos como depósito de veículos, porém não foi informada.

‘Metralhada’

Entre as dezenas de viaturas da PC desativadas que viraram carcaças, existia uma que chama a atenção de quem passa por ali. Numa posição de destaque, o carro modelo Pálio 2000 estava recheado de furos, como se tivesse sido metralhado. Mas ninguém das redondezas sabia informar, ao certo, o que ocorreu, embora houvesse muitas versões. Uma delas é de que a viatura estaria sendo usada para a prática de “tiro ao alvo” por bandidos.

Publicidade
Publicidade