Publicidade
Manaus
Manaus

Após ser confundido com bandido, PM é baleado por policial civil na Zona Norte

O Policial Militar explicou que bandidos tinham roubado seu carro, um Volkswagen Gol, minutos antes, e que ele teria saído atordoado atrás dos suspeitos, confundindo o Policial Civil que presenciou a ação. Ele foi atingido de raspão na panturrilha e delegado defende PCs 04/09/2015 às 18:42
Show 1
Ao todo sete pessoas serão ouvidas, dentre elas, duas testemunhas que presenciaram o fato.
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Por pouco o soldado da Polícia Militar identificado apenas como Dileno, lotado na 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), não foi morto nesta sexta-feira (4), após ser atingido por um tiro de raspão na panturrilha disparado por um policial civil do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na avenida Noel Nutels, Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. O militar não estava fardado e andava sem capacete na garupa de uma motocicleta com um amigo, que guiava também sem capacete e sem blusa.

Quando o policial civil avistou a pistola na cintura do policial militar, ele imaginou que fosse um criminoso e resolveu fazer a abordagem. Porém, o militar não havia obedecido a ordem de parar sua motocicleta, segundo afirmou o delegado Marcelo Melo, titular do 6º DIP. 

De acordo com Melo, três policiais civis lotados na unidade estavam retornando para a delegacia quando avistaram a dupla em atitude suspeita. Em seguida, eles ligaram a sirene da viatura e ordenaram que o condutor da motocicleta parasse, o que não aconteceu. Ainda segundo o delegado, em vez de parar, a dupla fugiu, ultrapassando alguns sinais vermelhos no caminho.

Durante a perseguição, um dos policiais civis percebeu que o homem que estava na garupa da moto colocou a mão em direção à cintura, onde estava a sua pistola. Neste momento, o PC efetuou um único disparou, que atingiu a panturrilha do PM.

Só depois disso foi que o condutor da moto parou e, logo em seguida, o policial militar se identificou aos civis. “Eles furaram alguns sinais e o garupa pegou na cintura, então os policiais entenderam que poderiam ser atingidos, por isso efetuaram um único disparo na direção da perna do suspeito que, até então, eles não sabiam que era um policial militar”, explicou o delegado.

Esclarecimento e socorro

Após se identificar, o PM ainda pediu para que os policiais civis não atirassem contra ele. Em seguida, os policiais civis socorreram o militar e o levaram até o pronto-socorro Danilo Corrêa, localizado na Zona Norte, onde foi atendido e liberado logo em seguida.

Segundo o delegado, o policial militar contou que criminosos tinham roubado seu carro, um Volkswagem Gol, de cor vermelha e placas não reveladas, minutos antes. No momento em que foi avistado, ele estaria atrás dos meliantes, ainda "um pouco atordoado", como revelou na delegacia.

“Ele estava chateado e, como viu o rumo que as pessoas tomaram, ele - do jeito que estava, de bermuda - pegou a pistola e saiu atrás deles e acabou se deparando com os policiais civis na rua. Ele não deveria ter feito isso, precisava ter chamado reforço, mas não pensou em nada, então é complicado porque o policiais civis entenderam que se tratavam de meliantes pelas características”, explicou.

Ainda segundo o titular do 6º DIP, um total de sete pessoas devem ser ouvidas, dentre elas duas testemunhas que presenciaram o fato. “Todos serão ouvidos e o caso será investigado pela Corregedoria”, resumiu.

As armas também foram recolhidas e devem ser encaminhadas para o Instituto de Criminalística. Em nota, a Polícia Militar informou apenas que o soldado Dileno passa bem e que a Diretoria de Promoção Social (DPS) da Polícia Militar está prestando toda a assistência ao PM.


Publicidade
Publicidade