Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Manaus

Após ser preso suspeito de assassinar estudante, 'DiCaprio' tem liberdade concedida

Juiz negou prisão preventiva a Raul de Carvalho Medeiros, que foi detido no início desta semana após denúncias de que ele rondava tranquilamente o local do crime e ainda ameaçava testemunhas. Magistrado alegou que Raul não apresenta perigo à sociedade 


09/04/2015 às 11:18

Após confessar friamente que assassinou com sete facadas no pescoço o estudante Gilberto Ribeiro dos Reis, de apenas 17 anos, o motoboy Raul de Carvalho Medeiros, de 20, também conhecido como "Leonardo DiCaprio", preso na tarde de terça-feira (7) pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), teve a prisão preventiva negada pelo juiz de direito Anésio Rocha Pinheiro e foi solto.

Raul saiu pela porta da frente da DEHS, localizada no bairro Jorge Teixeira, na manhã desta quinta-feira (9), acompanhado de familiares. Na decisão do magistrado, ele explica que "a gravidade do crime cometido, seja ele hediondo ou não, não constitui fundamentação idônea a autorizar a prisão cautelar".

O juiz de direito Anésio Rocha também afirma em seu despacho que o suspeito não oferece perigo à sociedade. Consta no documento que "em consulta à Certidão de Antecedentes Criminais, ratifico, na ocasião, uma vez que o réu não possui propensão para a prática delitiva, inexistindo, portanto, periculosidade ao sossego social".

Crime

Raul, que também é conhecido por amigos como “Favelinha”, mas foi batizado como “Leonardo DiCaprio” na sede da DEHS, foi preso enquanto andava tranquilamente na rua Jasmin, local onde ocorreu o crime. De acordo com a adjunta da DEHS, delegada Sansha Sodré, o suspeito foi preso após denúncias anônimas de que ele transitava normalmente pelo mesmo lugar onde havia matado Gilberto.

Investigadores da especializada foram até a rua denunciada e cumpriram o mandado de prisão. Conforme as investigações, a vítima estava com uma dívida de droga avaliada em apenas R$ 20. No dia do crime, os dois consumiam drogas juntos e, depois de um desentendimento por causa da cobrança, o suspeito desferiu sete facadas em seu pescoço.

Ainda segundo a delegada, a vítima chegou a ser socorrida e levada ao HPS João Lúcio, mas morreu no início da manhã do dia seguinte. Raul foi preso após a denúncia anônima apontar, ainda, que ele estava fazendo várias ameaças de morte à testemunhas. 

publicidade
publicidade
Prefeitura começa a demolir imóveis para obras na avenida Constantino Nery
De dízimo a viagens: manauaras fazem planos para R$ 90 milhões da Mega-Sena
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.